Como todos acompanharam, essa semana foi tumultuada no São Paulo Futebol Clube. O maior ídolo do time, Rogério Ceni, foi demitido nessa última segunda-feira (3), após perdermos de 2×0 para o Flamengo no domingo (2), pelo Campeonato Brasileiro. Rogério foi demitido por não ter apresentado resultados satisfatórios nos últimos seis meses, atitude precipitada da nossa diretoria pífia, da qual está deixando a desejar há muito tempo. Rogério Ceni foi mais uma vítima de Leco e seus amigos, que usou a imagem consolidada de Rogério com o intuito de se reeleger, apenas para de beneficiar e proteger seus próprios interesses. Já passaram 12 técnicos – fora os interinos – em oito anos e apenas UM título. Vocês ainda duvidam da falta planejamento?

Voltando a nossa pauta, o São Paulo anunciou no fim da tarde desta quarta-feira (5) o técnico Dorival Júnior. Ele, que recentemente comandava o Santos, chegou ao Tricolor do Morumbi com a principal intenção de tirar o time da zona de rebaixamento. O São Paulo encontra-se na 17ª posição na tabela do Brasileirão. Mas fora isso, o que esperar de Dorival Júnior?

Analisando seu vasto histórico, Dorival obteve sucesso em times como Internacional, Atlético-MG e Santos, porém o mesmo não aconteceu com o Palmeiras, que escapou por pouco da segunda divisão em 2014. É um profissional experiente, compromissado e bastante racional, mas também possui alguns defeitos. Apesar de apresentar um esquema tático sólido e definido, sem modificar o time titular a cada jogo, Dorival já demonstrou problemas de relacionamento com jogadores estrangeiros em times que já comandou, e como todos sabem, o São Paulo contém muitos jogadores estrangeiros, a exemplo de Lucas Pratto, Lugano e o novato Jonathan Gomez.

Dorival geralmente aposta em jogadores da base, renovando e trazendo jovialidade à equipe. Costuma escalar o time ofensivamente, sem recuar e ficar na defensiva. Há alguns anos, o São Paulo tinha a melhor defesa do Brasil, tornando-se praticamente imbatível. Hoje, nossa zaga é fraca e apresenta falha atrás de falha. Logo, Dorival não terá que se preocupar apenas com a parte ofensiva. Dorival terá o desafio de lidar com a nossa frágil defesa.

Desejamos toda a sorte do mundo a você, Dorival. Que você possa trazer resultados positivos o quanto antes, pois acredite, dormir com o time na zona de rebaixamento é a pior sensação para um torcedor apaixonado.

Mas lembrem-se: time grande não cai.

Texto feito por Larissa Deruiche

 Foto: Globo Esporte