E quem não se lembra da venda quase que milionária de Lucas Moura? Durante algum tempo, a Europa tem voltado seus olhos para a única base brasileira campeã da Libertadores Sub-20 e o assédio vem sendo notoriamente grande: nossas estrelas têm se destacado, brilhado e ido embora. Prematuramente ou não, essa brincadeira de “revela vende” tem movimentado milhões de reais nos cofres do tricolor que agora acaba de negociar Luiz Araújo por 38 milhões com o time francês Lille. Querendo ou não, esse anseio pela qualidade brasileira dos garotos é normal, é lisonjeante que haja tal procura até porque é de comum reconhecimento que o Luiz vive um ótimo momento na carreira, mas, poderia aprimorar-se ainda mais.  Essa “malandragem” de se valorizar foi percebida logo após a volta da seleção pelo Rodrigo Caio, que visa firmar-se no São Paulo e na seleção em busca de valorizar-se mais e mais o que é juntar o útil ao agradável: gera lucro para o atleta e gera lucro para o clube, detalhe, o nome do zagueiro tem sido muito cogitado em especulações de vendas o que particularmente me gera espanto e não só por ser uma peça de suma importância no São Paulo, mas por ser, na minha opinião, um dos melhores zagueiros em atividade no Brasil.

No começo do ano, uma das intenções de Rogério Ceni era mesclar a juventude com a experiência, projeto que veio dando certo durante algum tempo, Maicon e Rodrigo Caio formam uma dupla de zaga muito pouco vazada ou até mesmo Lucas Pratto e Luiz Araujo que atuam muito bem juntos. A grande verdade é que vai ser difícil suprir tais ausências, até porque os nomes no elenco e no mercado são poucos.

E não para por aí

Não é só pelos meninos da base que a Europa anseia, Thiago Mendes que foi sondado pelo Lille e Junior Tavares sondado pelo Ajax, mesmo time que levou nossa jóia David Neres e que hoje joga em alto nível na Holanda. São propostas que segundo as especulações, enchem os olhos do jogadores e do clube já que ao todo o São Paulo lucraria pouco menos de 100 milhões com a venda dos três jogadores.  O grande problema de tais vendas é a falta de prontidão da diretoria em arrumar reforços que supram as qualidades que os jogadores vendidos deixam ao ir, e não é de culpa total da diretoria tal problema: não é possível citar o nome de bons jogadores que estejam disponíveis e não demandem esforços excessivos para vir, a janela de transferência está escassa.

Uma série de nomes agitam as tribunas do São Paulo mas nada até agora foi engessado, o mais provável de fechar contrato seria Petros, ex volante do Sport Club Corinthians Paulista que hoje atua no Betis e tem 28 anos. Fernando Bob teve negociação congelada por não conseguir um acerto de valores com o Inter e o volante deve seguir na Ponte Preta. Everton Ribeiro chegou a ser especulação, mas até o momento não teve uma pronuncia oficial de nenhuma das partes sobre a negociação.

A grande verdade é que o desespero pela saída de jogadores bons faz o São Paulo ir atrás de alternativas que tragam jogadores medíocres e que não dão liga aqui no clube paulista. Até o fechamento da janela de transferência vamos esperar por nomes bons, notícias boas e vendas inteligentes (no mínimo).