A especulação da saída do zagueiro Maicon, do São Paulo aparenta estar cada vez mais próxima. Segundo os portais de notícias, o Galatasary, da Turquia teria apresentado uma proposta de 7 milhões de euros, que renderia ao Tricolor equivalente a R$ 25,2 milhões. Quando Maicon chegou ao São Paulo, emprestado do Porto, o time já enfrentava problemas com a zaga. A dupla formada entre Maicon e Rodrigo Caio, na época mostrava que o São Paulo havia encontrado a solução dos problemas.

Na disputa da Copa Libertadores da América de 2016, o zagueiro além de capitão da equipe foi um personagem de peso principalmente nos jogos contra o The Strongest, Atlético Mineiro e Atlético Nacional. Lembrando que no meio da competição, o São Paulo desembolsou R$ 22 milhões para a permanência do atleta no clube.

Jogando na altitude da Bolívia, reta final de partida, o técnico Edgardo Bauza já havia feito as três alterações, até que o goleiro Denis é expulso do jogo. Então, a solução foi colocar o jogador mais alto do elenco embaixo da trave, Maicon. Durante os cinco minutos finais, o zagueiro foi o goleiro do time e fez defesas importantes que bloqueou o contra-ataque do time boliviano.

No jogo de volta contra o Atlético Mineiro, lá no Independência, com o time da casa recebendo o apoio de 100% da torcida, após cobrança de escanteio Maicon saltou na área e de cabeça marcou o gol que levaria o São Paulo a eliminar o time mineiro e avançar confiante para a semifinal da competição.

Em casa, jogando a semifinal contra o Atlético Nacional, o jogo virou. O zagueiro foi expulso e o resultado final foi de 2×0 para os colombianos. Na Colômbia, o Tricolor precisaria reverter o placar vencendo ou empatando para decidir a partida nos pênaltis. Mas, a expectativa do tetra acabou quando o juiz encerrou a partida, que teve o placar de 2×1 levando o Atlético Nacional para a final e o São Paulo de volta ao Brasil. Nessa segunda partida tudo indica que a causa da eliminação foi aquele lance infantil do primeiro jogo, no Morumbi, em que Maicon na disputa da bola deixou o braço no rosto do atacante Borja.

OPINIÃO

Particularmente não concordo com a saída do Maicon. Como o próprio Rogério disse na entrevista coletiva pós-jogo, “O futebol é coletivo, então o problema também é coletivo”. Há problemas individuais? O atleta caiu de rendimento? Sim. Será que a venda é a solução? Desde o início do ano o clube vendeu peças, que seriam essenciais para compor o time no Brasileirão, já que foi eliminado de três competições. Caso esteja concretizada a venda do atleta, qual será a reposição que o clube irá fazer? Vamos acompanhar os próximos capítulos.