Não, não queria fazer essa resenha, mas tem que ser feita. Depois de começarmos o ano empolgados (novidade), com um time distribuindo gols e embalado, o São Paulo é protagonista de partidas irregulares decorrente de uma série de fatores que deveriam ter sido tratados desde o princípio; me arrisco em dizer que nenhum deles de fácil solução.

Defesa

Setor que há anos não é sólido, consistente e esbanja confiança. No começo do ano já foi apontado como um problema a ser resolvido, o time ofensivo sofria metade dos gols que fazia conseguinte de um esquema aberto de jogo. A tentativa de implantar uma marcação rápida e alta fazia com que o time desgastasse demais ainda no primeiro tempo, problema que foi solucionado, devido a rotação de esquemas de Rogério (não estou elogiando tal característica do treinador) que hora ou outra, deixa de lado essa marcação alta. Com a venda de Luiz Araújo, poderíamos investir alto em alguém de onipresença na defesa, seria loucura falar de Geromel? Sim, seria, mas se a diretoria não mediu esforços para trazer Pratto, Maicon e Buffarini não vejo um porquê de não investir alto em um jogador que completaria um de nossos piores setores atualmente, e nem falei das laterais ainda.

Constante rotatividade de esquema tático

Me dói criticar o M1T0, parece mais um prato cheio para a mídia publicar “torcida não tem paciência com Rogério” ou “Rogério está na corda bamba”, não, não é isso, criticar o professor é natural nessa altura do campeonato uma vez que ele começou agora. A grande inconsistência do São Paulo, ao meu ver, não se dá pela mediocridade de um ou outro no elenco, pelo contrário, temos peças boas que têm desempenhado papéis ótimos como o Marcinho, mas acredito que esse fator é conseqüência da constante mudança tática do Rogério na maioria dos jogos. Sim, ele sempre entra com um 3-5-2 ou 3-4-3, mas sempre acaba mudando uma peça ou outra que transforma a cara do time ou a velocidade do time, é aí que o elenco demonstra falta de entrosamento por não acompanhar tais mudanças.

Não, o elenco não é ruim, mais uma vez no papel temos um elenco bom e em campo o desempenho ruim perante a expectativa criada, mas se talvez a diretoria voltassem os olhos para as peças certas a serem contratadas a realidade seria outra. Eu ainda acho que temos tudo para somar pontos, é normal que um time que muda a todo instante de treinador enfrente alguns problemas como os que estamos enfrentando, a grande questão é: até quando? Que possamos vibrar títulos o quanto antes.

E antes que eu me esqueça, RENOVA LUGANO!