Recebemos hoje (26), a noticia que o zagueiro Lugano permanece no São Paulo até dezembro desse ano, após um descaso da Diretoria. Chegando a acordo verbal, ele assina provavelmente nessa terça-feira, com a indecisão durante a semana passada, se continuaria ou não, a maneira a qual foi levado o processo foi vergonhosa. O defensor nunca deixou de exitar e levar seu amor pelo clube acima de qualquer coisa que possa estar acontecendo internamente do clube, e chegou a conclusão que seria covardia, diferente do pensamento de muitos, deixar o Tricolor no meio do ano nessa situação que se encontra. Com uma liderança sensacional, mas tem muita pressão pois o torcedor quer que o Lugano de 2005 retorne, esquecendo da sua idade e força física e o cobra como se fosse de obrigação individual reverter a fase do clube, ele acredita que pode fazer a diferença, mesmo que pequena.

Campinas, jogo contra a Ponte Preta, perdemos esse jogo e apenas uma coisa me chamava a atenção mais que o resultado do jogo, a inquietação do Lugano, no aquecimento não conseguia tirar a cabeça do que ele poderia fazer para reverter esse papel, no banco, que banco? sua melhor posição era em pé auxiliando seus companheiros em suas posições, isso pra mim é muito além do que mágoas com as criticas na internet, é amor, é respeito e acima de tudo é saber a representatividade da camisa São-Paulina.

O cenário do futebol brasileiro não é nos melhores, cada vez mais produto do que pessoas, mais poder aquisitivo pessoal do que aquisição de amor, responsabilidade, respeito e postura ao que carrega. Mais uma das infantilidades as quais a diretoria do São Paulo nos expões, desrespeitando primeiramente um dos maiores defensores do clube que esta preste a encerrar sua carreira, não pensaram duas vezes em fazer o jogador passar por um qualquer, é uma serie de ações que nos faz estar a quase 10 anos em uma briga eterna do “cai não cai”, que sobrevivemos pela nossa grandeza.

Nenhum jogador é maior que o clube, mas com certeza são eles a base para que um clube seja o que ele é hoje, e o Lugano fez parte de uma das histórias onde a ligação de competência e amor ao que fazia era o segundo nome de todos que compulsarem o clube, de diretoria e jogadores.

Doí ver o Torcedor sendo desrespeitado, doí ver ídolo ser desrespeitado, doí ver o São-Paulo ser desrespeitado, mas uma coisa que não doí é cobrar os verdadeiros causadores de toda essa dor.