Meu primeiro contato com a minha segunda casa foi em um sábado, 12 de novembro de 2011. Com apenas 13 anos, pela primeira vez fui ao Estádio do Morumbi. São Paulo x Avaí, pelo Campeonato Brasileiro, com a vitória do Tricolor por 2×0, gols do Fabuloso, uma sensação incrível, fiquei muito ansiosa, não dormi direito pensando como seria estar lá, apesar de que todas as vezes que eu vou sinto como se fosse a primeira vez por ser um lugar tão maravilhoso. A sensação de sair dos corredores e avistar o gramado e arquibancadas do Morumbi, é fantástico. O Morumbi faz parte da minha vida, acolhe tão bem o seu torcedor e se torna nossa segunda casa.

O Estádio Cícero Pompeu de Toledo a casa do Tricolor Querido. Conhecido como Estádio do Morumbi, localizado em São Paulo, no bairro Morumbi. Foi inaugurado no dia 2 de outubro de 1960. A partida inaugural foi entre São Paulo x Sporting, com a vitória do time da casa por 1×0.

O segundo maior estádio do país, ficando atrás somente do Estádio do Maracanã, localizado no Rio de Janeiro, o Morumbi tem capacidade oficial de 67.052 pessoas.

O Morumbi foi palco de grandes vitórias do São Paulo FC, o qual conquistou em casa o primeiro título do campeonato da Libertadores em 1992 diante do Newell’s Old Boys (Argentina) e seu tricampeonato em 2005 frente ao Atlético Paranaense com uma goleada por 4×0.  Inúmeros títulos foram conquistados no Morumbi, no total o Tricolor conquistou vinte taças dentro de casa. Além de campeonatos nacionais e internacionais de futebol, o Morumbi já foi palco de grandes artistas como Madonna, Michael Jackson, entre outros.

Para aqueles que ainda não conhecem o estádio ou tem curiosidade de conhecer um pouco mais da casa tricolor, o Morumbi possui um evento privado chamado Morumbi Tour,  aonde o torcedor faz um passeio e conhece todo o estádio, memorial, sala de imprensa, vestiário, túnel de entrada para o campo, etc. Para quem ama o time do coração vale a pena conhecer.

Não podemos negar que o verdadeiro “dono”  dessa segunda casa é o torcedor São-Paulino, da porta para dentro tudo o que importa é ver o São Paulo jogar, sem estresse (exceto com o juiz e um jogador ruim), sem medos, sem dor de cabeça e sem qualquer outra preocupação, só um alivio, uma sensação que somente o aconchego da nossa casa poderá nos promover.