“Recentemente, surgiu o São Paulo FC Júnior com as mesmas pretensões do antigo. Se o novo São Paulo veio ao mundo da bola sem os haveres, fama e prestígio dos seus antepassados, trouxe a maior das riquezas: a fé no seu destino, o amor ao seu hoje. Somente a fé poderia levar o atual Tricolor a nascer como um clube varzeano qualquer e tornar-se logo uma agremiação no caminho reto do progresso do futebol superior. O Clube da Fé, como merece ser chamado o atual São Paulo FC, está se encarregando de.” – Thomaz Mazzoni

Que o São Paulo tem uma tarefa árdua e difícil, contra o Corinthians, domingo em Itaquera, não é novidade. Mas porque deveríamos acreditar que a reversão de placar seria possível?

Apesar de não termos passado pelo Cruzeiro, quarta-feira no Mineirão, o jogo apresentado pelo São Paulo, nos dá uma esperança de que ainda é possível sim! Além disso, a história do nosso Tricolor nos mostra o seu poder de reação.

Pela final da Libertadores de 1992, o São Paulo saiu atrás do Newell’s Old Boys, na Argentina. No jogo de volta, aqui no Morumbi, o Tricolor repetiu o resultado levando a decisão para os pênaltis, e pelo placar de 3×2 o São Paulo se consagra campeão da américa, pela 1ª vez.

Já no ano seguinte, enfrentando novamente o Newell’s Old Boys, só que agora pelas oitavas de final, mais uma vez o Newell’s saiu na frente, a diferença dessa vez foi um pouco maior, 2×0. Porém no Morumbi, o São Paulo foi soberano, aplicando uma goleada de 4×0. Mais tarde o Tricolor se tornaria Bicampeão da américa.

E pelo campeonato paulista de 1998, enfrentando o Corinthians, o São Paulo perdeu a 1ª partida por 2×1. E no jogo de volta venceu por 3×1, tornando-se campeão estadual daquele ano.

Enquanto houver 1% de chances, nós estaremos lá, lutando, torcendo, apoiando. Pois somos o Clube da Fé, e nunca desistimos de luta

Texto por: Isis Oliveira