images-1

Salve, Nação Trimundial!

Com a volta do M1to, TODOS se abalam e criam expectativas, o primeiro ano M1tológico promete. Como time gigante que é, o São Paulo está sempre em evidência, não importa a campanha do ano anterior, sua história lhe confere a condição de estar entre os favoritos. A ansiedade de ver Rogério Ceni comandar é geral.  Diante disso, até oportunistas aparecem para lucrar com a visibilidade do Tricolor. É o caso do senhor Vampeta, atual presidente do Audax e conhecido por proliferar imbecilidades e preconceitos, o qual por vezes depreciou a homossexualidade e a expôs como se fosse um xingamento, tentando difamar o Maior Campeão do Brasil (sem *), em decorrência da superioridade do Tricolor do Morumbi, mormente em relação ao time que ele defendia, aquele acometido por crises políticas e rebaixamento. Agora o infame, por ser responsável pelo mando de campo, tabelou o ingresso ao preço mínimo de cem reais, visando lucrar com a estreia do M1to, ademais disse que Ceni seria recebido com tapete vermelho e pétalas de flores, novamente com comentários debochados que reverberam o preconceito.

Analisando o fato, tem-se que no Brasil o principal esporte é o futebol, que este possui uma torcida majoritariamente machista e opressora, consequentemente violenta, sobretudo quando exposta a esse tipo de comentário. Têm-se assassinatos entre membros de torcidas organizadas. Tem-se São Paulo como a capital da barbárie relacionada ao esporte. Têm-se punições às torcidas. Torcida única em jogos de rivalidade, restrição de venda de bilhetes, membros de torcidas proibidos de frequentar estádios. Enfim, o torcedor infrator está sendo punido, hoje mesmo, um líder de torcida foi detido por estar no estádio sem permissão judicial, no entanto um homem público, verbaliza absurdos midiaticamente e não vejo punição. Rivalidade é diferente de desrespeito e incitação de violências e preconceitos. Escrevo hoje extremamente revoltada com a impunidade quanto a este representante de clube que não tem a menor noção do que significa ESPORTE, senão incita a violência deliberadamente, quando deveria ser banido de qualquer convivência esportiva.

Outrossim, destaca-se que homossexualidade não pode ser tida como xingamento, depreciação. Pois, a condição sexual de uma pessoa apenas diz respeito a ela. Assim, quando o estádio inteiro grita “bichaa”, “gay” etc deveria ser equivalente a gritar “hétero”, porquanto isso não é xingamento nem elogio. Dessa feita, a pratica de apreciar futebol no Brasil deve evoluir, os letrados, que se divertem com o esporte, devem agir de modo mais consciente, reflexivo e civilizado, ficando para os imbecis atos estúpidos e rudimentares como o de Vampeta. Nós, seres pensantes, não podemos proliferar violência, deixemos isso aos quadrúpedes os quais devem ser punidos e banidos do esporte.

Percebamos o quão arcaico é o futebol brasileiro, em que  não há sequer um jogador que se assuma homossexual, porquanto este traria, segundo os quadrúpedes, vergonha e desmoralização ao time. Por conseguinte, quando não há mais argumentos com títulos e vitórias, tenta-se imbecilmente chamar héteros de homossexuais. De fato, o que desmoraliza são essas atitudes, que reverberam preconceito e exalam violência. Não façamos da nossa paixão nacional um ambiente de segregação.

E, Nação, vamos esperar para o dia 12, nosso M1TO no Morumbi. Boicotemos os imbecis, cobremos das autoridades punições a eles. Nas redes sociais, quando os argumentos partirem para a proliferação de preconceito, denunciemos, vamos calá-los. Espero de coração que o Pintado vá a Barueri e que, no Brasil, a estreia  de Ceni seja no Morumbi. E que eles temam mesmo, pois o M1to vem aí.

Saudações Tricolores!