De Cotia    cfa-cotia para o MUNDO…

Após 8 jogos como profissional, o jovem talento David Neres, aquele de irrefutável colaboração no Brasileirão, recebeu uma proposta irrecusável e será vendido pelo tricolor. O assunto da semana incomodou boa parte da torcida do Maior do Mundo, a qual se manifestou contrária à venda, sobretudo nas redes sociais. Por recusa do São Paulo, não levaram Luiz Araújo, que tinha proposta de 21 milhões de reais, e Lyanco, com proposta de 17 milhões de reais.

Por ano, gastam-se 25 milhões de reais em Cotia, assim, espera-se a revelação de grandes craques, como aconteceu com Kaká, Hernanes, Denilson Show, Breno, Lucas, Rodrigo Caio, o próprio M1to. No Brasil e no mundo, o São Paulo Futebol Clube é reconhecido pela excelência de sua  base, assim como de seu Reffis e CT. O questionamento atual é o aproveitamento e a permanência desses atletas no clube, mormente por o time ter passado maus momentos em 2016 em decorrência da saída de muitos jogadores. O time foi desintegrado e salvo com o apoio da base. Dessa forma, a dúvida é se o lucro é real considerando o investimento.

Ademais, a base, além de garantir boas negociações, tem por principal objetivo prover ao time jogadores de excelência com menor custo, ou seja, a revelação de talentos tem como função central servir o time profissional técnica e fisicamente. No entanto, a cada dia, quanto mais talentoso for o jogador, menor a permanência dele no Brasil, até por sermos reconhecidos mundialmente como país do futebol, somos frequentemente acometidos pelo assédio internacional, é o terror dos clubes a época em que as janelas de vendas estão abertas.

E nós, ao contrário, esperamos repatriar estes mesmos jogadores com idade mais avançada. Revelamo-los, usufruímos pouco e depois tentamos compor o elenco com eles já nos últimos anos de carreira, é considerado bom negócio quando se consegue contratar esses ainda em metade da carreira. Sob outra perspectiva, pode-se afirmar a excelência do trabalho confirmada pela procura de nossos jogadores. Mas só isso já confere ao time a certificação de eficiência? Será que estamos fazendo o melhor proveito desse investimento a longo prazo? Será que conseguimos vencer o assédio internacional?

No caso de David Neres, não conseguimos vencer o assédio, porquanto o próprio jogador manifestou desejo de jogar na Europa e de ter a tão sonhada independência financeira. Ao meu ver, foi um bom negócio, visto que o jogador tinha aproximadamente 700 minutos como profissional e fez três gols. Esperávamos mais dele? Sim. Mas ninguém pode obrigar o outro a ficar, sobretudo nessa profissão. Além disso, não temos bola de cristal, esse mercado é de oportunidade. É uma pena não contar mais com o David Neres, mas espero que sua saída sirva para recompor outras carências do elenco. Destaca-se ainda que o grande vilão são as gestões que deixaram nosso tricolor na condição de não poder recusar boas propostas em decorrência do endividamento e baixo poder de compra.

Se será bom ou mau negócio, veremos depois! Pois o São Paulo ainda possui 20% do menino, além de 5% por ser clube formador, consoante assegura a FIFA. Que brilhe muito, David Neres!$$$$$$$$ E volte!