No começo do ano éramos espancados com as inúmeras falhas do atual camisa 1 tricolor. Enquanto uma parte amaldiçoava suas atuações, outra vinha pedindo calma e paciência, pois ele precisava se habituar e criar confiança. Bom, estamos chegando ao final da temporada, o discurso dos bons samaritanos (ou alienados, como prefiro dizer) continua o mesmo e a minha desconfiança com o goleiro, também.

Sim, num panorama geral Denis tem desempenhado bem as suas funções. Boas defesas, unidas a bolas que evitaram a derrota do São Paulo – como contra a Chapecoense e o Cruzeiro – andam fazendo parte de seu currículo, porém a sua irregularidade segue a mesma, se é que não podemos dizer que ela está ainda mais endossada.

Como de costume, por infelicidade o jogador escorregou e isto nos custou a derrota (Foto: Rubens Chiri)

Como de costume, por infelicidade o jogador escorregou e isto nos custou a derrota (Foto: Rubens Chiri)

O jogador tem sido importante em diversos partidas, porém falha em momentos cruciais e acaba entregando, literalmente, os pontos à equipe rival. Sua visão de jogo é limitada,como podemos ver na saída de bola ensaiada que tem com Rodrigo Caio, que qualquer rival já entendeu e se aproveita do toque curto para as lateria. Se isto não bastasse, frequentemente – e vergonhosamente – erra nos tiros de meta, cruza a bola para ninguém, para jogadores do outro time, ou direto para fora de campo.

Que ele anda tendo boas atuações não discordo. Não dá para negar que em algumas vezes foi até o que pareceu mais querer a vitória. Não podemos discutir que ele está virando hominho e aprendeu a assumir suas falhas – como no jogo contra o Atlético Paranaense, que em outros tempos seu escorregão não seria o motivo do gol. Mas, infelizmente, não da para aceitar um goleiro tão fraco no São Paulo. Se um jogador de 29 anos, que diz estar em sua melhor fase, continua tendo erros de base e sofre com falta de confiança, desculpa, mas não tem capacidade de jogar em um dos maiores times do país. Não estou aqui implorando por um novo Rogério Ceni da noite para o dia, mas não podemos confiar em uma pessoa que nem ela mesma confia em si. Mas que, ao mesmo tempo, porque faz duas jogadas boas, ou leva uns pontos na cara já acha que é a estrela maior do time.

Abstento de meu lado torcedora. Denis é fraco e será para sempre fraco, não adianta. Pode vir o melhor preparador, o Marco Aurélio e até o Papa. O jogador não tem condições de defender um time grande. Denis é inconsistente, temperamental e lento. O problema dele não é tempo para se acostumar, para  pegar confiança ou para a ficha cair. O problema do Denis é o próprio Denis. Ele se ilude, sonha demais e suas ilusões o levam a acreditar que ele tem capacidade. Suas ilusões o condicionam ao erro, erros que andam nos custando muito caro.

As duas vitorias empolgaram, mas o rebaixamento ainda não foi completamente anulado. Subimos um pouco na tabela, mas a briga da metade para baixo não para e os confrontos nesta parte são diretos, daqui para frente. É deprimente e desesperador saber que o teremos embaixo das traves, porque são estes vacilos, estas infelicidades, estes pequenos momentos de falta de confiança do goleiro, que podem nos custar a maior dor de nossas vidas.