Descoberto nas categorias de base do São Paulo Fc, Bruno era visto como uma grande promessa, na época também defendeu equipes de base da Seleção Brasileira e conquistou a Copa do Mundo de Futebol Sub-17 em 2003.

Sua carreira promissora foi precocemente interrompida no ano de 2006, ano em que atuava como terceiro goleiro do time profissional do São Paulo.

Exatamente em 11 de agosto de 2006, Bruno sofreu um acidente de carro na Rodovia Regis Bittencourt BR-116.O acidente acabou resultando na morte dos também atletas Weverson e Natália que também estavam no veiculo, Bruno acabou tendo um gravíssimo deslocamento na coluna, que o deixou tetraplégico.

Logo após o acidente Bruno começava a batalha pela sua vida e consequentemente por sua recuperação, foram oito meses de internação, duas cirurgias e muita reabilitação, foram dias difíceis de muita luta,  a perda dos amigos, dos movimentos, muita coisa tinha que ser superada.

Desde então Bruno pratica a vela adaptada, esporte esse que é um dos principais responsáveis por sua recuperação, participará dos Jogos Paraolímpicos 2016, na equipe brasileira Skud 18, ele é o timoneiro, responsável pela direção do barco. A cadeira adaptada tem um motor que permite os movimentos e o controle do leme, Marinalva sua parceira na modalidade tem a tarefa de comandar as velas e dar velocidade para a embarcação.

 

Foto (Arquivo pessoal)

Foto (Arquivo pessoal)

“Eu aprendo diariamente muitas lições com a vida. Aprendi a dar valor para as pequenas coisas, que quando você não tem nenhuma limitação ou deficiência e não precisa de ninguém, não dá valor. Agradeço todos os dias por poder acordar, e apesar das dificuldades, praticar um esporte, dar palestras, contar minha história, inspirar pessoas e principalmente aproveitar a chance de estar aqui”.

No próximo mês entre os dias 11 e 16 se inicia os Jogos Paraolímpicos, Bruno está focado nos treinamentos na cidade de Niterói no Rio de Janeiro onde acontecerão as provas, e está muito determinado a conseguir conquistar  a medalha.

Foto (Arquivo pessoal)

Foto (Arquivo pessoal)

“Em 2008, no futebol eu desejava participar das Olimpíadas como goleiro. Tudo mudou e estive com a Vela em Londres em 2012. Agora contagem regressiva para os Jogos do Rio 2016”

13743528_565551683632330_1139513211_n

Bruno no Morumbi (Foto Arquivo pessoal)

Bruno tem um carinho enorme e boas lembranças pelo São Paulo seu eterno time do coração, mas hoje seu foco e sua paixão é velejar, daqui para frente quer ser lembrado pelas suas futuras conquistas nesse esporte que se apaixonou, e que te fez descobrir um novo sentido.

 

Foto ( Arquivo Pessoal)

Foto ( Arquivo Pessoal)

“Para mim, o esporte sempre foi essencial, o gosto vem desde pequeno. Pratiquei judô e futebol na infância. Depois do acidente, a vela foi o que me ajudou – e me ajuda até hoje – a recuperar meus movimentos, a buscar sempre melhorar. A sensação de competir é ótima”.

 

Bruno teve que reaprender muitas coisas, deu a volta por cima e hoje é um exemplo para todos nós, exemplo de superação, otimismo e muita fé. Parabéns pela garra e pela lição de vida que transmite dia a dia.

Você é a prova de que não existe impossível para quem tem força de vontade, é um orgulho para todos nós ter você representando nosso país, desejamos a você uma excelente olimpíada.

Boa sorte e muito sucesso nessa sua nova carreira,estaremos aqui torcendo por você.