Quarta-feira, 13 de julho de 2016, muito mais do que a glória, a eliminação era sentida. Mas existia algo que não deixava a esperança acabar. Algo muito maior do que a magia do futebol. Algo que palavras não seriam capazes de definir. Trocar a camisa, respirar fundo. A realidade estava ali. Era a hora.

A áurea conspirava. Todos pedíamos por três gols, falávamos em milagre. Mas aquele sentimento ainda estava vivo. O gol que precisávamos veio, e inflamou ainda mais o sentimento, mas não por pouco tempo. Não até o gol de empate, como esperado. Não até o gol da virada, como lógico. Não até o final do jogo, como dito por muitos.

O gol, a raça, a raiva, o impossível fez nascer algo que aos poucos definhava em meio a torcida. O sentimento que muitos já não viam, o brilho ao falar, a honra em vestir o manto. Nós não vivemos a Libertadores, esta Libertadores que nos fez viver. Saímos, mais do que com honra, com amor. Não morremos, mas vivemos após aquele jogo.

Quem já acordou após uma derrota orgulhoso de tudo o que seu time fez. Cair na semi pode ter o mesmo peso que sair na fase de grupos. Mas mais do que uma taça, saímos deste campeonato com um sentimento que estava abandonado. Com um amor e um orgulho que a torcida são paulina havia esquecido de sentir.

Imagem: Friedemann Vogel

Imagem: Friedemann Vogel

A briga pelo que ninguém acreditava nos fez acreditar ainda mais. Nos fez amar, nos fez honrar e nos fez sentir e vibrar com cada passe de bola correto. O título pode não ter vindo, mas o amor ao São Paulo FC teve o coro ainda mais endossado. Perdemos sim o campeonato, mas estamos vivos.

Somos hoje uma torcida viva. Uma torcida que tem um amor, que tem uma camisa a honrar e um legado a defender. Não vivemos mais pelo passado. O nosso amor é presente. É pelo que acreditamos, vemos e confiamos que pode acontecer. Nós entendemos que cada um sabe o quão grande é este time. E, em nome deste amor, apoiaremos, lutaremos e cobraremos até o fim pelo melhor futebol que podem jogar.

A Libertadores acabou, mas o nosso amor se reafirmou.