Saudações Tricolores!
Na tarde de ontem o São Paulo finalmente nos deu a alegria de comemorar a vitória de seu primeiro clássico do ano. Vencemos o Palmeiras jogando muito bem, defesa segura, meio de campo e ataques entrosados. E o resultado só foi 1 x 0 por conta da inspiração do goleiro arquirrival que fechou o gol, pois caso contrário teríamos lavado a alma! 
Mas de tudo de bom que aconteceu ontem, podemos afirmar que a melhor delas foi a briga entre o zagueiro Maicon e o atacante Rogério.
Calma, não estou dizendo que brigas fazem bem para o ambiente do time, pelo contrário. Já vimos em situações anteriores que desentendimentos causaram rachas na equipe e afetaram muito o desempenho dos jogadores em campo. Mas essa situação em especial é diferente.
Créditos imagem: Reprodução Lance!
O lado extremamente positivo dessa briga é ver os jogadores cobrando resultado e empenho dos companheiros mesmo jogando bem e saindo com resultado positivo.
Rogério entrou no final do segundo tempo e fez muita firula, cavou um pênalti, perdeu bolas bobas que poderiam ter causado problemas à zaga do São Paulo.
A bronca de Maicon foi justamente por isso, não temos espaço para molecagem em clássico quando a equipe está focada no resultado.
Da postura do início do ano de uma equipe visivelmente dividida, apática e desacreditada só nos resta a lembrança. 
O que vemos hoje é que a equipe está igualmente nivelada em termos de futebol e motivada a vencer. Bauza teve um início conturbado no comando time, mas o tempo tem mostrado o bom trabalho que vem desenvolvendo. Nos últimos jogos não podemos reclamar de raça, liderança e vontade de vencer, pois tivemos isso de sobra. 
Maicon não fez nada muito diferente do que nós torcedores fazemos das arquibancadas, a única diferença é que ele estava ao lado do Rogério e foi por isso que o caldo entornou. Dos males o menor a equipe está tão bem dentro e fora de campo que os dois já conversaram e fizeram as pazes. 
E no mais daqui “de fora” a gente só espera que esse espírto aguerrido se mantenha em ambos campeonatos e que os jogadores continuem cobrando uns aos outros nas derrotas e nas vitórias.    
Por: Andréia Silva