Hoje é dia de relembrarmos a passagem da Raiza Oliveira no São Paulindas! Ela que até hoje é uma parceira do SPFC1935 participando dos eventos esteve por um bom período conosco onde colaborou com diversas matérias, eventos e ainda por cima dona de fortes opiniões. Acompanhe!

Das histórias à corneta

No futebol, tem sido difícil encontrarmos motivos pra comemorar. Mas aqui no São Paulindas, vai ter festa sim! Pra celebrar os sete anos deste belíssimo site, eu, Raiza Oliveira e ex-São Paulinda, fui honrosamente convidada a fazer este texto especial relembrando meus tempos de colunista.
Entrei pro site em 2011, a partir da indicação da amiga de faculdade e também integrante do SPFC1935, Samara Roque. Era minha chance de por em prática o que estava aprendendo nas aulas de Jornalismo e também me aprofundar e escrever sobre o meu time do coração. 
Achei o formato fantástico, já que é um site formado apenas por mulheres e isso era praticamente inexistente enquanto fui só uma torcedora-leitora. Esse período me marcou tanto, que muitas lembranças ficarão pra vida toda. Até então, eu nunca tinha ido no estádio, por N motivos. E levada pela amiga já mencionada (thanks, Rocks!), junto da megaequipe do site, fui pela primeira vez ao Morumbi no dia 7 de setembro do mesmo ano, no jogo 1.000 do Rogério Ceni. Nada podia melhorar naquele 2011. Quer dizer, apenas um título.
A partir daí, passei a ir nos jogos com mais frequência, e as colunas me faziam pesquisar e ler mais coisas sobre o São Paulo. Li diversos livros sobre a história do time, e toda curiosidade que eu percebia não ser explorada pelos jornalistas ou outros sites de torcedores, eu compartilhava nas colunas. E acabei criando uma mania de fazer colunas históricas, por um certo tempo.
Raiza organizou uma visita no clube social para conhecer toda estrutura
Contei sobre o dia que o Santos de Pelé fugiu do São Paulo nos anos 60, a história de Poy, a força de Pedro Rocha e o brilhantismo – que lamento muito não ter visto – de Leônidas da Silva, o Diamante Negro. Entre várias histórias que eu adorava resgatar, o time principal daquela época, 2012 e principalmente 2013, os anos que fiquei no site, passava por fases difíceis que não dava pra ‘ignorar’. 
Raiza sempre presente nas edições do Sangue Vermelho, Branco e Preto 
Comecei a fazer verdadeiros desabafos sobre o time, e opinar sobre o que deveria mudar. Me empolguei e até conquistei, internamente, o apelido carinhoso de corneta. Justo, porque com exceção ao Rogério, ninguém tava bom pro meu crivo: Dagoberto Paneleiro, Alex Silva baladeiro, Jadsono.. Acho que eu não estive tão errada assim.

Por infeliz falta de tempo, acabei saindo do site em 2013, mas até hoje sinto saudades. Sempre que posso leio as colunas e fico feliz pela maturidade do portal como um todo e da manutenção desta página, que dá espaço pra nós, mulheres, falarem sobre a bola como qualquer outra pessoa pode. Como diz a sempre São Paulinda Nina Cardoso, É AS MULHERES, OBA!
Raiza com a equipe em 2011 (repare que o Morumbi ainda era nas cores antigas)
Agradeço por todos os momentos e muito aprendizado que tive aqui, ao administrador (!) e amigo Maurício, às colegas que passaram por aqui, as lindas que estão hoje e as que ainda virão. É tudo nosso!
Parabéns por mais um ano e vida longa ao São Paulindas! <3