Ontem 21 de abril, foi feriado e pelo horário do jogo eu poderia estar muito bem fazendo qualquer coisa para aproveitar essa folga. Poderia estar lendo um livro, assistindo um filme, fazendo compras, 
fazendo algum programa em família, bebendo com os amigos ou simplesmente poderia estar dormindo.  Mas, minutos antes das 21h45,  eu estava estudando, colocando a matéria da faculdade em dia. 

Quando olho para o relógio, ansiosa com um jogo fora do país, largo tudo, ligo a televisão para ver o São Paulo jogar. Jogo os cadernos de lado e só penso em ver a bola rolando. Meus dedos coçam para estar ali na arquibancada juntinho do time, mas com a consciência  tranquila, sabendo se fosse em casa, estaria ali nas arquibancadas do Morumbi. 

Eu penso em desistir dessa vida de torcedora, as vezes fico iludida e  finjo que não estou nem ai. Mas, felizmente eu só deixo isso em pensamento e  por ser um caso simplesmente de amor, eu dou prioridade ao meu time. Unhas? Já não existem mais desde que me entendo por torcedora. 

Por eu parar tudo na minha vida para ver o São Paulo em campo, confesso que eu esperava mais do time. Esperava respeito, muita força de vontade, muita sabedoria e reciprocidade na energia que a torcida vem depositando, principalmente pela nossa tradição dentro da Libertadores, resumindo, eu esperava que representassem o salário altíssimo que os jogadores recebem (se está atrasado ou não, uma hora o outra recebem, já alguns dos torcedores lutando o ano inteiro pra receber 10% do que eles tem no mês). Esperava dos jogadores  e dos dirigentes que lembrassem que temos diversas funções, prestamos serviços a alguém, somos estudantes, algumas são mães, dedicamos a família e ainda somos torcedoras. 

Infelizmente como torcedora, eu sinto que na verdade não existe um grupo no time do São Paulo, é cada um por si dentro de campo. Não sei se o gol ao nosso favor no jogo de ontem (21), foi meu alivio ou aquela sensação que mostra o tanto que estamos desesperados. A cada jogo eu fico mais sem ar do que os próprios jogadores jogando nessa a altitude da Bolívia.

Eu sempre vou largar tudo pra te ver jogar São Paulo. Vou e somente eu posso, reclamar e pedir sempre mais e mais e mais. Porque nós torcedores vivemos SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE e está desgostoso ficar passando sufoco com o peso da camisa que vestimos e sempre. VAMOS SÃO PAULO!

Por: Steffany Kanysha 
@kanyshafany 
@SPFC1935