Saudações Tricolores!
Finalmente conseguimos a classificação para as oitavas de final da Libertadores! Ufa! É, como dizem sem emoção não é Libertadores, não é mesmo? O problema é que o São Paulo tem colocado nossos nervos e nossa condição cardíaca a prova.
Na última Quinta (21) quase tive uma síncope durante o jogo. Não, a equipe não jogou mal, muito pelo contrário, nem parecia que os jogadores estavam sofrendo com a altitude. O problema foi um jogador que eu costumo defender sempre que questionam sua habilidade ou sua presença na equipe titular: o goleiro Denis.
Reprodução: site oficial SPFC
Denis chegou ao São Paulo em 2009 e teve poucas oportunidades como titular, obviamente por conta da presença de Rogério Ceni. Sua grande oportunidade antes da aposentadoria de Rogério foi no Campeonato Paulista de 2012 onde atuou como titular devido a uma contusão do M1TO que o afastou até meados do Campeonato Brasileiro do mesmo ano.
O atual goleiro do São Paulo sempre teve o respaldo de Rogério para herdar o posto após sua aposentadoria. Rogério sempre disse que não havia necessidade de contratar um novo goleiro, pois além de Denis tínhamos Renan Ribeiro e Léo, todos preparados para assumir o posto segundo o M1TO.

Mas nas últimas partidas Denis tem sido alvo de críticas por parte da torcida e por parte da mídia por conta das falhas que tem cometido. E com toda razão.
Confesso que relutei um pouco no início e que pedi a vários amigos para ter paciência com o atual capitão da equipe, mas após o jogo de quinta, nem um monge budista consegue ter muita paciência com ele. No momento da expulsão foi difícil controlar a vontade de “encarnar” o Fabuloso, entrar na TV e dar uma surra nele. Foi uma atitude juvenil que colocou o resultado de toda equipe em risco, o cartão amarelo aos 25 minutos do primeiro tempo foi um aviso que o juiz não estava de brincadeira. 
Qualquer goleiro que substituísse Rogério sofreria com a pressão, isso é um fato. Rogério também sofreu com a pressão de substituir Zetti, mas soube criar seu espaço, se firmou, mostrou confiança e passou isso através de sua liderança aos demais jogadores e aos torcedores.
Sabemos que essa substituição é diferente. Rogério é de longe o maior ídolo Tricolor e o que ele representa ao clube e a torcida é imensurável. Mas não dá para ficar a vida inteira justificando as criticas e a pressão pela substituição de um ídolo. 
Essa é a grande oportunidade de Denis, o momento dele mostrar seu trabalho e sua dedicação. Mostrar que tem potencial e provar que todos aqueles que apostaram nele estavam certos. 
Eu não vejo liderança no Denis, acho que ele é um bom goleiro, mas o peso da braçadeira de capitão está pesando. Um líder de verdade blinda sua equipe, a protege e assume seus erros. A entrevista no intervalo do jogo onde Denis culpou a zaga por uma falha que foi sua, mostra seu despreparo para lidar com situações como essas.
Por isso considero a expulsão de Denis providencial! Não por cornetagem, mas de uma maneira positiva, Com a suspensão dele ou o São Paulo dá oportunidade para um dos dois (ou três se também considerarmos Lucas Perri) goleiros reservas ou contrata um novo goleiro. Ou ainda com a possibilidade de perder o posto de titular, Denis se esforce mais e mude sua postura dentro de campo. 
Eu particularmente não vejo necessidade em contratar um novo goleiro, gosto muito de Renan Ribeiro e acho que nos jogos em que atuou como titular foi seguro e mostrou que pode se sair bem. Mas cabe a diretoria e ao técnico do São Paulo decidirem sobre isso. 
O que nós sabemos é que se Denis continuar do jeito que está nem mesmo a diretoria conseguirá bancá-lo por muito tempo como titular…
Por: Andréia Silva