Bauza, a sua cara de “meu deus, o que é isso?” é compartilhada por nós a cada escalação divulgada (Foto: Djalma Vassão/Gezeta Press)
Após a vitória contra o Botafogo-SP (23), no Pacaembu, e o empate contra o Santos no último final de semana, muito começou a se iludir com a estruturação do time e a acreditar que os problemas administrativos estavam parando de refletir dentro do campo. Mas muito se engana quem pensa que Edgardo Bauza é um deus a formação tática e que o  problema do São Paulo FC é apenas e tão somente administrativo.
Não sou contra a sua permanência na equipe, pelo contrário, acho que técnicos precisam de tempo para estruturar equipes, e mais, adorei quando foi dito que ele era o nosso novo técnico. Mas isso não o isenta de defeitos. Não o isenta do fato de eu não concordar com algumas de suas formas de pensar. A começar pelo seu falho esquema de jogo no São Paulo.
Concordo que hoje precisamos nos defender muito mais do que ontem, e que para isso devemos aproveitar os contra-ataques. Porém um time de asmáticos sonolentos como o do São Paulo jamais funcionaria neste esquema. Nossos jogadores são lentos, de raciocínio e movimentação. Esses senhores mal conseguem marcar o adversário, quem dirá roubar a bola e instantaneamente armar uma jogada. 
Outro constante problema, oriundo também da lerdeza da equipe, é a falta de movimentação em campo. Quando finalmente surge uma jogada no fundo do campo, e a bola chega aos pés de Ganso, o camisa 10 não tem para onde continuar a jogada. Não existe um lateral são paulino que chegue ao meio campo e suba com a bola, além dos atacantes que ficam concretados na área. 
E falando em gente que tem trava no pé, quando entenderemos a questão Centurión? Diversos pontos são levantados sobre a sua irredutível e falha titularidade, mas nada me faz entender porque um cara que não trabalha continua tendo esse destaque. “Ah, ele está com problemas familiares”. Sinto muito, de verdade, mas quem aqui não tem problemas? Eu tenho e você que está lendo também tem. Agora vamos nós, sentar na frente do computador e ficar olhando pra tela. Vamos apenas abrir algumas páginas e alternar entre elas. Quanto tempo você durará no emprego? 
É uma aposta para que um doido o veja e compre? Mas quanto vale a aposta em um jogador que coloca tudo a perder? O camisa 20 não apresentou resquícios de futebol esse ano. Não podemo esperar que o São Paulo afunde para desfazer os erros. Está na hora de mudar.
Mais uma vez digo que admiro e apoio o trabalho de Patón, mas utopias não são bem vindas. Para que seu jogo aconteça ele precisa de peças, e no São Paulo elas não existem. O que Bauza precisa é se adaptar.
Por: Ana Claudia Marioto
@aclaudiamarioto
@spfc1935