Saudações Tricolores!
Na coletiva de hoje (29) o zagueiro Rodrigo Caio mencionou que o time precisa melhorar individualmente. Parto do princípio de que um time de futebol são 11 jogadores em campo e que a coletividade é o ponto chave para a maioria das equipes obter sucesso.
Porém se analisarmos com mais calma, talvez a individualidade de alguns jogadores pode sim reverter a situação em alguns jogos e conduzir a equipe para melhores resultados.
Caio é um exemplo disso. Marcou gols em dois dos últimos dos últimos jogos decidindo a favor do São Paulo.
Créditos: Reprodução Página Facebook Rodrigo Caio 
Acredito que no time há dois jogadores que podem fazer a diferença no time, Eles são Michel Bastos e Paulo Henrique Ganso. Michel foi um jogador que chegou ao clube com grande identificação com a torcida, sempre buscando o resultado nas partidas, atuando às vezes em posições que nem sempre favoreciam sua maneira de jogar, mas ainda assim tinha bom rendimento. Se usar as críticas que tem recebido a seu favor, para impulsionar seu desempenho tem tudo para conduzir os demais jogadores com ele. Claro, falar é sempre muito fácil e passar por situações de falta de credibilidade e confiança abalam muito o moral de qualquer um.
Ganso desde que chegou ao clube trouxe muita esperança ao torcedor tricolor. Esperança de que pudesse reproduzir ao menos parte da genialidade e talento que ele apresentava no Santos. A recuperação levou algum tempo e a adaptação ao time também. Em 2014 Ganso teve um ano muito bom como há muito tempo não tinha. Quem não se lembra dos lances dele no Brasileiro? Nesse início de temporada a atuação dele tem sido irregular, joga uma partida bem, na outra mal toca na bola…
Acho que o que falta em ambos é resgatar esse lado diferenciado. Os dois tem certa influência sob os demais jogadores, no sentido de incentivá-los e motivá-los a buscar o resultado em campo. Falta chamar a responsabilidade para si. Claro que não é justo colocar toda a carga em cima de apenas um ou dois jogadores, mas há situações em que alguém tem agir para que as mudanças ocorram.
Temos em Lugano um líder nato, aquele que representa a garra e a raça são paulina. Mas ainda nos faltam jogadores que demostrem através de seu talento e resultado que sabem o peso da camisa do São Paulo, não somente para os adversário, mas também para a torcida.
Por: Andréia Silvaa