Em todos os seus anos de existência, o São Paulo marcou a
história do futebol nacional não apenas com seus títulos, mas com fatos que
perpetuam até hoje quando se fala do esporte breteiro. 
Alguns acontecimentos, marcas e curiosidade mostram a importância do Tricolor Paulista no cenário futebolístico brasileiro. Conheça:
Gol de peixinho
Na partida que inaugurou o Estádio do Morumbi, no dia 2 de outubro de 1960, o
São Paulo venceu o Sporting Lisboa por 1×0. O primeiro gol da nova casa
tricolor foi marcado por Arnaldo Poffo Garcia, o Peixinho, aos 12 minutos de
jogo diante de 56.448 pessoas que lotavam o estádio ainda inacabado, com renda
de Cr$7.868.400,00, recorde em amistosos na época.

No lance, Peixinho se jogou quase rente ao chão para
completar o cruzamento de cabeça e entrou para a história do nosso estádio e do
nosso futebol.  Gol do Peixinho! 
A coincidência do apelido, da semelhança ao movimento do peixe e a performance
de Arnaldo, fez com que ele batizasse, sem querer, um dos lances mais plástico
e bonito.
Van Persie no gol de peixinho do século!
Gol de bicicleta
Leônidas da Silva, não inventou o lance da bicicleta, mas
como ele mesmo dizia, seu papel foi popularizá-la. 

Em 13 de novembro de 1948, o São Paulo goleou o Juventus por 8 a 0 e o Diamante
Negro marcou um golaço de bicicleta. E a  jogada ficou imortalizada pela mais famosa
foto do jogador. Alguns afirmam ter sido criada por um outro jogador brasileiro, Petronilho de Brito, e que Leônidas apenas a teria aperfeiçoado.

A bicicleta mais famosa de Leônidas

Homenagem à Leônidas, no Museu do São Paulo
Diamante Negro
Por falar em diamante negro, o chocolate foi batizado por
causa de Leônidas. Uma homenagem da Lacta ao jogador, que também apelidado de
Homem-Borracha. No São Paulo, sua estreia bateu o recorde de público do estádio
do Pacaembu, com mais de 70 mil presentes. Foi um dos maiores ídolos da
história do clube.
Montagem feita pelo site O Informate
Os campeões erguem a taça!
Aprenderam com Hilderaldo Luís Bellini capitão da Seleção
Brasileira de Futebol na conquista do primeiro título mundial, em 1958 e nosso
zagueiro.
Quando consagrou-se campeão como capitão da Seleção
Brasileira na copa do Mundo de 1958, Bellini recebeu a taça no gramado e a
imprensa pediu para que erguesse-a para que todos pudessem vê-la. Sua foto
levantando a Taça Jules Rimet com as duas mãos sobre a cabeça é uma das marcas
do futebol brasileiro, e passou a ser repetida por todo capitão ao levantar a
taça.
Bellini erguendo a taça e criando o gesto dos campeões
Goleiro-artilheiro
Nosso M1to não foi o primeiro goleiro a fazer um gol e nem
será o último, mas suas marcas são tão expressivas que passou-se a usar a
alcunha de goleiro-artilheiro para destacá-lo dos demais arqueiros que fazem
gols.
Perto de sua aposentadoria, Rogério ainda se destaca como o maior
goleiro-artilheiro na história do futebol mundial. Sua precisão nas cobranças,
tanto de faltas quanto de pênaltis, fizeram dele, em agosto de 2006, o goleiro
com o maior número de gols marcados na história do esporte, superando o
paraguaio Chilavert.
O M1to e o recorde… O Homem-Guiness

Essas são algumas das histórias que fazem jus ao refrão “As
suas glórias vêm do passado”. Muitos craques marcaram seu nome na história no
futebol mundial e na história do São Paulo, celeiro de grandes jogadores.
Siga-nos:
@rob_santana

@spfc1935