Saudações queridos Leitores!

          Sabemos que o Futebol Feminino não é bancado por grandes montantes em dinheiro, mas é alimentado por grandes sonhos e muito trabalho, iguais ou maiores que o Futebol Masculino.
O TEMPO promoveu um grande encontro de jogadoras da seleção brasileira com promissoras atletas do cenário estudantil de Belo Horizonte.
        Medalhistas de ouro no Pan de Toronto, no Canadá, este ano, Thaísa, 26, e Rafaelle, 24, vestiram a camisa do América nas últimas três semanas, quando um draft, um sistema de escolha de atletas, dividiu as jogadoras da seleção permanente do Brasil entre as equipes que disputam o Campeonato Brasileiro da categoria. Já Thamires, 16, Luiza, 14, e Emily, 13, são destaques nas equipes de futsal pelos quais jogam.
       As atletas que se dedicam à categoria de Futebol Profissional e estão focadas nos Jogos Olímpicos de 2016 responderam às dúvidas das adolescentes pouco antes de um treino das meninas do Coelho no campo da Faculdade Universo, no bairro Nova Floresta.
      O preconceito no esporte, o apoio dos pais, as possibilidades de intercâmbio, as melhorias no futebol feminino no Brasil e as comparações com os Estados Unidos, referência na modalidade, permearam os questionamentos.
As meninas anseiam por mais visibilidade, mas se inspiram nesses modelos para não desistirem daquilo que sonham.
Por: Tamyres Silva
Fonte: http://www.otempo.com.br