Ia começar o texto de hoje falando “boa noite”, mas acredito que os dias que sucedem uma notícia triste como a que foi anunciada ontem pelo São Paulo não são nada bons. Como o São Paulindas vêm informando há um tempo, a CAPES, patrocinadora do time feminino do São Paulo, andou atrasando o salário das atletas e acabou largando mão de apoiar nossas jogadoras. O São Paulo, por este motivo, decidiu extinguir, de novo, o time formado por garotas. Está confirmado: foi tudo para inglês ver! Absolutamente tudo. Com a notícia do fim das atividades femininas, ficou evidente que tudo não passou de uma tática para impressionar certas autoridades e conferir mais visibilidade unicamente ao clube. Uma pena. 
No dia 10 de maio, tive o prazer de assistir ao meu terceiro SanSão aqui onde eu moro, em Santos. Foi a primeira vez que vi um time de meninas do Tricolor em campo, e aquilo foi incrível para mim, pois eu estava começando a entrar dentro desse mundo maravilhoso do futebol feminino. Logo que me sentei na arquibancada, me deparei com uma atleta alta, rápida, que se movimentava bastante, boa armadora, perigosa nos desarmes e que com um chute forte e cheio de precisão, marcou o gol do São Paulo no empate por 1 a 1. Quando cheguei em casa, fui procurar saber quem era essa jogadora cheia de raça e disposição, e foi aí que eu conheci a Sole Jaimes.
Foto: Rinaldo de Lira/Blog do Lira
Atacante no São Paulo, Florencia Soledad Jaimes, a Sol, como é chamada por suas companheiras de equipe, tem 26 anos e nasceu em Nogoyá, em um vilarejo na província de Entre Ríos, na Argentina. Assim como o argentino do time masculino, Centurión, o qual é visto como referência pela camisa 10, Sole Jaimes é de origem muito humilde. Antes de pousar no São Paulo, a gringa adquiriu bastante experiência jogando nos dois grandes de Buenos Aires, River Plate e Boca Juniors, e brilhou no Foz Cataratas pela Copa do Brasil, além de defender a seleção argentina. Achou pouco? Para completar, nossa craque coleciona muitos títulos, sendo grande parte deles internacional (#SoleTieneLibertadores). Jaimes é a humildade e a determinação personificadas. É, acima de tudo, um exemplo para o cara que veste, com um sentimento oposto ao dela, a camisa 10 do time profissional.
No domingo, 23, a equipe feminina do Tricolor disputará o segundo jogo da semifinal do Campeonato Paulista. Infelizmente, nossa camisa 10 não vai jogar a segunda partida da semifinal, contra o Santos, por ter sido expulsa no jogo anterior. As jogadoras vão entrar em campo cientes de que se perderem e forem eliminadas, a carreira no São Paulo será interrompida, e, se ganharem e se classificarem para a final, a carreira no São Paulo também será interrompida. Imagino o quão horrível deve ser, para elas, treinarem e entrarem em campo com esse sentimento de incontinuidade. Vamos apoiá-las e incentivá-las, torcedor(a) são-paulino(a)? 
INFORMAÇÕES SOBRE O JOGO:
Quando?
Domingo, dia 23 de agosto.
Que horas?
Às 18 horas.
Onde?
Na sede social do Morumbi.
Que o time feminino vá para a final do Campeonato Paulista, a Sole volte e as meninas ganhem esse título!
Siga no Twitter: @nathaliaperez e @SPFC1935
Fonte consultada: LANCENET!