Neste domingo, 26 de julho, nosso mestre Telê Santana completaria 84 anos.

O São Paulo vai homenagear o treinador mais vitorioso da história do clube, falecido em 2006. A diretoria tricolor entregará uma placa a Rene Santana, filho do treinador, no intervalo do jogo contra o Cruzeiro.

A iniciativa do São Paulo é um reconhecimento por todas as conquistas e serviços prestados por Telê ao clube e ao futebol brasileiro enquanto treinador.

E que sabemos, não foram poucas!

Depois de amargar fama de pé frio, por perder duas edições da Copa do Mundo como treinador, teve sua redenção no Tricolor. Mas não podemos deixar de lembrar que a Seleção de 82 tem a chancela da “seleção que jogava bonito”.

A partir de 1990 até o início de 1996, comandou o São Paulo, conquistando duas vezes a Taça Libertadores da América e o Campeonato Mundial de Clubes. É considerado o maior treinador são-paulino em todos os tempos e um dos ídolos do clube, sendo apelidado pela torcida de “Mestre Telê”.

A Era Telê

No São Paulo viveu os melhores anos da sua carreira como treinador, conquistando muitos títulos pelo clube. Apostou no talento de Raí, que estava desacreditado e também em novatos como Antônio Carlos, Cafu, Leonardo e Elivelton.

Em 1991, com o time entrosado, tendo Raí como o líder da equipe em campo – os jogadores ganharam confiança, evoluíram e conquistaram o Campeonato Brasileiro de 1991. Assim, passou a ser o único técnico brasileiro a ter conquistado os quatro principais campeonatos estaduais do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul). 

Foi campeão continental pela primeira vez na Copa Libertadores da América de 1992, e campeão Mundial Interclubes diante do Barcelona e mais o bicampeonato Paulista. Antes de acabar o ano de 1992, Telê foi premiado como o “Melhor técnico da América do Sul de 1992”.

O ano de 1993 foi o mais vitorioso da carreira como técnico: ganhou quatro títulos internacionais oficiais, todos eles no mesmo ano e, assim, acabou conquistando uma quádrupla coroa internacional (Libertadores, Recopa, Supercopa e Mundial de Clubes) — sendo até hoje o único técnico do mundo a atingir tal feito.

A torcida são-paulina passou a chamá-lo de “Mestre”. No período em que esteve no São Paulo, o técnico Telê preferiu morar no próprio Centro de Treinamento do clube. 

Em janeiro de 1996, após sofrer uma isquemia cerebral, teve que abandonar o futebol e viu a sua saúde debilitar-se bastante, com problemas na fala e na locomoção, entre outros. Apesar de debilitado, acreditava que poderia voltar a trabalhar. 

No dia 21 de abril de 2006, depois de ficar por cerca de um mês internado devido a uma infecção intestinal, que desencadeou uma série de outras complicações, Telê Santana faleceu em Belo Horizonte.

O São Paulo também homenageará os ídolos tricolores Pintado, Careca, Noronha e Chicão, estes dois últimos serão representados pelas viúvas. Segundo o Tricolor paulista, é uma forma de agradecimento pelos anos de dedicação e amor clube.

Por Rob Santana