Estamos há quase duas semanas sem ver o Tricolor jogar. Eu não sei vocês, mas já estou com o coração doendo de saudade de ver aquele time, o qual derrotou o Corinthians no dia 22 do mês passado, entrando em campo com sangue nos olhos e sede de vitória. Na próxima quarta-feira, dia 06, o São Paulo vai receber o Cruzeiro no Morumbi, e, se jogarmos com a vontade de semana retrasada, tudo indica que será uma noite de F… Fábio sendo Freguês e Festa. 
Em campo, dois times que terminaram o Campeonato Brasileiro de 2014 no pico da tabela, mas que não vêm mostrando o mesmo rendimento do ano passado durante esta temporada, se enfrentarão pelas oitavas de final da Copa Libertadores. Em uma ponta, o capitão tricolor, o maior goleiro de todos os tempos, uma história de amor ao clube que defende e 127 gols marcados. Na outra, o arqueiro celeste, o terceiro atleta que mais vestiu a camisa do Cruzeiro e 7 bolas do M1TO buscadas no fundo do gol. Em suma: a vítima preferida de Rogério Ceni.
Essa história de perseguição começou quando Fábio ainda era goleiro do Vasco. Poderia ter começado antes, caso ele tivesse ganho a condição de titular em sua primeira passagem pelo Cruzeiro, em 2000. Mas, para sua sorte, apenas em 2003 sofreu o primeiro gol de Rogério, em um jogo pelo Brasileirão. Nosso goleiro-artilheiro cobrou uma falta aos 42 minutos do segundo tempo, a bola passou pela barreira e foi parar no fundo da rede do Vasco.


Dois anos depois do primeiro gol do M1TO no Fábio, os dois goleiros voltaram a se encontrar, porém com o Fábio defendendo o time celeste. No primeiro turno do Brasileirão de 2005, o São Paulo recebeu o Cruzeiro em casa e, no primeiro minuto de jogo, tomou um gol do. Mas, para o terror de Fábio e para amenizar nosso sofrimento, aos 43 minutos do primeiro tempo, Rogério bateu um pênalti, igualou o jogo e marcou o 42º gol de sua carreira. 

Em 2006, aconteceu um dos jogos mais memoráveis da carreira do nosso goleiro-artilheiro. O Tricolor foi até o Mineirão enfrentar o Cruzeiro, pelo Campeonato Brasileiro, e saiu com o empate por 2 x 2. Pirulito marcou um gol contra nós mesmos, tomamos o segundo, mas, aos 42 minutos do primeiro tempo, Rogério foi cobrar uma falta e, em vez de chutar imediatamente no gol, colocou a bola em jogo (tocando-a para Souza) e depois chutou no canto direito do Fábio. Primeiro e único gol, até o momento, de bola rolando da vida de artilheiro do M1TO. 

A mitagem foi suficiente para vocês? Pois pro RC, não foi. Depois desse gol maravilhoso, Aloísio foi fazer o giro na pequena área para finalizar, mas foi impedido. Mais uma vez, o M1TO saiu do gol e foi cobrar o pênalti. E, novamente, nosso goleiro-artilheiro “salvou” nossa vida. Deseja deletar o dia 20 de agosto de 2006 da sua memória, (freguês) Fábio?
Como se não bastasse a partida fantástica do primeiro turno, Rogério fez um sacrifício e decidiu deixar sua marca registrada (gol) no jogo de volta do Campeonato Brasileiro de 2006, no Morumbi. O M1TO abriu o placar pro São Paulo no segundo tempo, em um gol de falta. O jogo acabou no placar de 2 x 0 para nós, sendo Fabão o autor do segundo gol.
Ceni deu uma trégua ao Fábio e ficou 4 anos sem marcar gol nele. Porém, o fim do jejum aconteceu no dia 3 de novembro de 2010, quando o São Paulo enfrentou o Cruzeiro no Parque do Sabiá, em Uberlândia, pela 33ª do Brasileirão. O M1TO voltou a fazer o goleiro celeste de vítima em um gol de pênalti (faltavam apenas 6 para alcançar seu centésimo gol), mantemos o tabu e batemos a Raposa por 2 x 0.
Depois de 6 bolas no fundo da rede, o goleiro matador ainda ficou mais 4 anos sem fazer gol no Fábio. Ano passado, na disputa pela liderança do campeonato nacional, o São Paulo recebeu o Cruzeiro em casa, pela 21ª rodada, e acabou com a invencilibidade do time celeste. Com uma partida fenomenal do M1TO e do ídolo Kaká, diminuímos a diferença de pontos e ficamos muito próximos do líder do campeonato. Rogério fez defesas extraordinárias e marcou seu último, até então, gol no Fábio. 

Desde 14 de setembro de 2014, (o M1TO não humilha o Fábio) não jogamos com o Cruzeiro. Depois de amanhã, a vitória é mais do que necessária para a classificação para as quartas de final, já que o Cruzeiro é um time extremamente chato quando joga dentro de casa. É ganhar ou ganhar. Espero que nosso goleiro-artilheiro mantenha sua perseguição ao arqueiro celeste e não hesite em cobrar faltas. Que a tradição de gols no Fábio seja mantida, e que, de preferência, saia(m) gol(s) igual(is) àquele de bola rolando. Meu Deus, que gol magnífico. Que goleiro formidável. Que artilheiro expecional. Que freguesia constante. E vocês? Qual(is) gol(s) do M1TO gostariam que fosse(m) “reprisado(s)” nesta quarta-feira?

Fontes consultadas: SPFCpédia, Wikipédia e FutDados
Sigam no Twitter: @nathaliaperez e @SPFC1935