A nova atenção dos clubes brasileiros na atualidade tem nome. Se chama “SÓCIO TORCEDOR” e esse programa tem o poder de fidelizar torcedores e contar com o apoio financeiro mensal para ajudar o clube. Mas aí o torcedor sempre questiona: o que eu ganho como retorno apoiando e investindo no clube?

Números e vantagens

Segundo os cálculos do “Movimento por um futebol melhor” do início da tarde do dia 03/02, o São Paulo contava com 44.645 participantes do seu “Sócio Torcedor”, atrás de Internacional (129.837), Palmeiras (90.291), Grêmio (80.581), Corinthians (75.640), Cruzeiro (67.591), Santos (57.087) e Flamengo (54.323). Clubes com torcidas menores que a nossa, estão na nossa frente. Por quê?

No programa do São Paulo – que é pioneiro e por isso usa esse nome – são três tipos de planos disponíveis: o de R$ 12, o de R$ 30 e o de R$ 100 por mês. Todos eles oferecem basicamente a mesma coisa, mudando apenas o benefício de compra de ingressos onde somente o plano mais barato tem prioridade apenas um dia antes da partida. Já nos outros dois planos, o sócio pode comprar seu ingresso pelo menos em 72h antes do jogo. De resto, o adepto recebe cartão, certificado, newsletter, acesso a área exclusiva no site do clube, descontos em parceiros comerciais e participação em concursos culturais.

Aí eu pergunto: é só isso que a gente pode esperar do nosso clube do coração? O São Paulo ganha com nosso dinheiro e com nosso apoio na arquibancada e nos retribui com tão poucas vantagens, ao meu modo de pensar.

O que o Sócio Torcedor pode nos oferecer?

Muitos torcedores opinam e sugerem mudanças sobre o plano do São Paulo. Acho que o clube poderia aproveitar esse momento onde busca crescer e abrir espaço para OUVIR a demanda do torcedor. É importantíssimo essa aproximação e pode clarear muito a mentalidade do clube, principalmente depois de ter acesso à esse dado dito pelo presidente Carlos Miguel Aidar na coletiva de apresentação do atacante Centurión:

“No ano passado, tínhamos 13.700 sócios pagantes. São, agora, 21.492. Contando os não pagantes, temos 44.557 cadastrados”

Já buscaram ouvir esses “não pagantes” e saber quais foram os motivos de sua desistência? Existe a possibilidade de uma reaproximação? Um desconto (pequeno ou pontual que seja) para ter o seu retorno? É possível reativar quem já foi sócio, sim. Principalmente agora que o time tem um elenco competitivo e disputa uma Copa Libertadores, mas é preciso (re)conquistá-lo.

No plano antigo, o clube oferecia anualmente uma camisa oficial do clube e também uma versão para o sócio torcedor. As visitas no CCT também eram permitidas. Hoje em dia, para ver um treino do São Paulo, você tem que desembolsar cerca de R$ 300,00. Ao meu ver, isso é a coisa mais absurda da face da terra!

Existem também muitas pessoas no mercado que são especialistas e responsáveis por implantar e melhorar o benefício nos clubes pelo mundo afora. Talvez um investimento em alguém capacitado possa ajudar bastante. Os cursos de Gestão e MKT Esportivo estão pipocando e formando gente em busca de espaço neste mercado. Basta abrir o olho e contratar, sair desse grupinho fechado de contratações que os clubes instauram, as chamadas “panelas” e “cabide de empregos”.

E as mulheres são-paulinas?

Comemorando a vitória do tricolor

Esse é também um ponto que precisa ser olhado com atenção. Vocês já perceberam a quantidade de mulheres que torcem pelo São Paulo e vão ao estádio? Eu, por exemplo, só vou ao jogo sozinha ou com um grupo de mulheres. Os amigos do sexo oposto eu encontro por lá, geralmente.

NENHUM clube brasileiro explora esse público, NENHUM! Não existe oferta e variedade de produtos para as mulheres. Muitos vão dizer que é porque não há consumo, mas quem falou isso? Existe alguma pesquisa que aponta esse dado? Tentou-se alguma vez explorar esse nicho? Eu, por exemplo, sou cercada por dezenas de garotas que adorariam comprar produtos exclusivos do seu time, algo que vá além da boa e velha camisa oficial.
Mas também não adianta apenas criar o produto, é preciso de campanhas para divulgá-lo. As mulheres precisam saber que o clube também pensa nelas.

São TANTAS as opções que podem ser feitas que eu fico até perdida por onde começar, mas vamos antes analisar o cenário:

– No Brasil, a mulher representa mais de 50% da população, ou seja, só nosso público é capaz de escolher sozinha o presidente da República em votação;

Bia e Mari: representam nosso site

– A mulher é quem tem o maior poder de compra dentro de uma casa. Geralmente é ela quem escolhe os produtos para a família, desde as compras no supermercado até roupas, sapatos, produtos de beleza, restaurante, remédios e etc… Ela é opinativa e fiel a uma marca;

– A presença da mulher no estádio inibe a violência causada massivamente por torcedores homens. Mulher não briga no estádio, pelo contrário, é incentivadora e transmite uma imagem de “mais festa, menos guerra”, além de despertar interesse de mídia, patrocinadores e favorecer o aumento da massa, recrutando mais torcedores, como por exemplo, as crianças.

Assistam esse vídeo de 2011 quando a Federação Turca de Futebol puniu os torcedores do Fenerbahce por atos de violência e, em uma das partidas, permitiu apenas a entrada de mulheres e crianças no Estádio Sukru Saracoglu para torcer. Resultado: o time apenas empatou por 1 a 1 com o Manisapor, porém o estádio contou com a presença de 41 MIL MULHERES! Inédito, histórico e exemplo de comportamento.

Então pensem: mulher é maioria, mulher consome, mulher diminui a violência, mulher atrai mídia e patrocínios e ainda fideliza crianças. O QUE VOCÊS ESTÃO ESPERANDO PARA NOS OFERECER CONFORTO, SEGURANÇA E OPÇÕES DE COMPRA?

Pesquisa realizada recentemente pela consultoria de inteligência esportiva Pluri entrevistou 10.545 mulheres para chegar a conclusão de um ranking feito em 144 cidades de 23 unidades de federação.
Dos 192,4 milhões de Brasileiros, 98,2 milhões (51% do total) são mulheres. Deste total, 68,9% torcem por algum time de futebol, o que corresponde a 67,6 milhões de torcedoras.

Carol e Ju: Torcedoras e consumidoras

O número de torcedoras são-paulinas somaram 6,95 milhões e ocupou a terceira posição no ranking, atrás de Flamengo (14,13 milhões) e Corinthians (11,75 milhões). Para efeito de comparação, este número de flamenguistas, sozinho, é superior a toda a torcida Palmeirense (12,3 milhões de torcedores e torcedoras), a quarta do país. Tá bom ou querem mais?

O que esperamos do nosso clube?

– Produtos oficiais do clube que vá além da camisa de jogo. Usamos vestidos, shorts, saia, lenços, faixas de cabelo, brincos, pulseiras, colares, anéis, cintos, moletons, agasalhos, tênis, chuteiras, e vai pensando aí… Biquini, canga, guarda-chuva, mochila, bolsa, bola, capa de celular, agenda, poxa… a lista não para! Dá até pra fazer bonecas vestidas de tricolor (até a Barbie saiu da cozinha e virou jogadora de futebol e vocês aí… dormindo no ponto!).
Sei que tudo isso envolve custo, licenciamento e afins, mas é possível aproveitar uma dica ou outra para chamar a atenção de um público tão carente como o nosso.

Se vocês soubessem há quanto tempo eu procuro por uma LEGGING do São Paulo, com o símbolo desenhado na canela, uma MEIA também com o símbolo pra usar com meu All-Star… cara, não existe! Sem falar as camisas oficias que RARAMENTE são feitas em modelos femininos, né?! Isso é o mínimo, mas nem o mínimo é feito em certas coleções.

Juntas na arquibancada!

– Plano especial para mulheres é possível também. Um desconto especial para que elas sejam sócias seria incrível (R$ 10,00 a menos, que seja!). E aí vocês poderiam fazer parcerias com diversos estabelecimentos: produtos de beleza (Natura, O Boticário, por exemplo), loja de lingeries, spas, centros de bem-estar, salões de beleza, agência de viagens, restaurantes e bares, lojas de acessórios, de bolsas, de sapatos, de roupa, de decoração… É só pensar! Pode apostar que a gente consome, com desconto, então, é mole!

– Ser lembrada em datas especiais também é importante. O que custa fazer uma promoção legal para as sócias no dia das Mães e no dia da Mulher? O que custa receber um kit do clube (com trecos básicos e que já existem, tipo, chaveiro, squeeze, boné, sacolinha) no dia do seu aniversário? Isso teria um valor sentimental enorme para uma mulher.

Coloco aqui um vídeo de uma ação muito bacana feita pelo Sporting de Portugal, em 2010, para o Dia Internacional da Mulher. As torcedoras são chamadas por eles de “Mulheres com Garra”:

Já pensaram receber um lindo lenço como este para que possamos usar no frio, seja no estádio ou fora dele? Um boné especial? Uma camiseta com um nome exclusivo e criado especialmente para o público feminino?

São ações simples, mas que cativam!

“Mulheres com Garra”, devidamente reconhecidas em Portugal

 Em pesquisa realizada pelo Ibope em parceria com o jornal Lance! e divulgado em agosto de 2014, o São Paulo Futebol Clube soma 13,6 milhões de torcedores pelo Brasil. Cerca de 7 milhões SÃO MULHERES, ou seja, METADE DISSO TUDO É DOMINADO POR UM PÚBLICO QUE É POUCO EXPLORADO. Isso é um absurdo!

Pode até ser que muitas dessas garotas não vão ao estádio ou vão pouco, mas enquanto nada for feito essas mulheres seguirão ali, no cantinho, sem receber atenção e sem manifestar seu amor ao clube.

Nós, do São Paulindas, fazemos a nossa parte. Temos esse nosso espaço exclusivo onde debatemos sobre o esporte de igual para igual, destacamos a presença da mulher no futebol (seja dentro de campo ou na arquibancada) e também marcamos presença nos jogos. A maioria é sócia torcedora (eu não sou porque não me sinto agraciada em ser!) e consumidora até mesmo de adesivo de unha com o símbolo do clube. Nossa equipe já realizou um evento no ano passado SÓ PARA MULHERES na loja da Penalty, dentro do Morumbi. No espaço, contamos com a parceria da Adriana Saad do Manuia Spa e oferecemos tratamento de nail-bar e make-up para as torcedoras, além de desconto nas peças dentro da loja. QUARENTA MENINAS assistiram ao jogo juntas, desfrutando de um bom espaço, conforto e bem-estar. Detalhe: o custo disso foi baixíssimo, semelhante ao preço de um ingresso. Acesse o link para assistir: https://www.youtube.com/watch?v=0M273dNHwG4

São Paulindas no camarota da Penalty no Morumbi: união!

Contamos com a participação importante de uma diretora plena, mulher, dentro do clube (a primeira da história), Mara Casares, que já nos recebeu e deixou as portas abertas para colaborarmos com ideias e propor novos assuntos e parcerias. Isso já é um grande passo, mas falta muito mais!

Não há desculpa, há falta de carinho, atenção e percepção para trabalhar com as mulheres. Nós estamos há anos tentando provar nosso valor, nossa independência e nosso potencial no mercado de trabalho, mas parece que em alguns setores – como no futebol – ainda precisamos comer muita poeira. Isso porque esse texto aborda apenas a fatia das torcedoras, nem abordei a parte do futebol feminino, hein?!

Não existe problema e nem dificuldades para trabalhar com o público feminino, pelo contrário, só há vantagens. E aí eu pergunto: até quando o futebol brasileiro irá nos tratar com descaso? Até quando o nosso próprio clube, aquele que carregamos o escudo no peito, irá nos ignorar? Peço aqui união das torcedoras para exigirmos um pouco de atenção. Somos nós que geramos (ou geraremos) o futuro da nação tricolor, portanto, mais respeito e consideração com quem representa a maioria!

Vamooooooooooo, São Pauloooooooooooooo!!

Sigam no twitter: @robertanina e @spfc1935

Créditos fotográficos: SPFC1935 / São Paulo – Site Oficial e Divulgação