O goleiro Rogério Ceni esteve nessa segunda feira (03) no programa “Bem Amigos” da Sportv, e recebeu várias homenagens, desde o apresentador do Jornal Nacional, Willian Bonner, até seus colegas de profissão e adversários. Oito goleiros de times do Campeonato Brasileiro fizeram uma homenagem ao tricolor, que agradeceu as palavras dos mais jovens.

Confira as homenagens: 

Jefferson (Botafogo): “É um cara que é exemplo dentro e fora de campo. Todos os comentários que eu escuto do Rogério Ceni são que ele é o primeiro a entrar e o último a sair. É um cara profissional, que não gosta de ficar de fora dos jogos. É isso que a gente tira de lição. A gente vê vários jogadores que já chegaram ao patamar de ídolos dos clubes e, às vezes, não digo corpo mole, querem ficar fora de um jogo ou de outro. Ele não quer jogar todos. Não tem esse negócio, ele tem mais de 40 anos e treina igual. É um líder, você vê falar pouco dele extra-campo, é um profissional. Não é à toa que chegou aonde chegou.”

Volpi (Figueirense): “Se você falar em goleiro, não tem como não lembrar do Rogério Ceni. É a principal referência que você tem quando se trata de goleiro, o primeiro nome que vem à cabeça é o Rogério Ceni. Posso afirmar, com toda a certeza, que vai ser difícil ter um goleiro igual ao Rogério Ceni.”

Victor (Atlético-MG): “O Rogério, para mim, é um ídolo, um ícone, um vencedor nessa carreira. Seus números, suas estatísticas são impressionantes. É um goleiro em que eu me espelhei e ainda me espelho muito, por sua liderança, por sua capacidade técnica.”

Paulo Victor (Flamengo): “O Rogério Ceni é um cara que evoluiu muito o futebol brasileiro, principalmente para os goleiros, com a facilidade que ele tem de jogar com os pés e ser um goleiro-artilheiro. Isso acabou influenciando a vida dos outros goleiros. A gente tem que ser grato a ele por tudo isso. Com certeza, quem ganhou foi a gente, que veio depois. É um ídolo não só do São Paulo, mas de todas as torcidas brasileiras.”

Bruno (Criciúma): “Todo goleiro que se preze tem o Rogério Ceni como inspiração, comigo não é diferente. Eu tenho de idade o que ele tem de carreira. Tive o praz3er de jogar duas vezes contra ele. Outro prazer foi não tomar gol dele, sendo que ele é um goleiro-artilheiro. Acredito que nunca outro goleiro alcance a marca dele.”

Marcelo Grohe (Grêmio): “Acho muito bonita a história dele. Já tive a oportunidade de ler o livro dele. Ele viveu a vida toda no São Paulo, mais de 20 anos no São Paulo, e conquistou o que poderia ter conquistado, então é uma referência para mim. Eu troquei uma vez a camisa com ele lá no Morumbi. Lembro que não joguei esse jogo, estava no banco, e no segundo tempo estava atrás do gol dele pensando o que eu poderia falar para conseguir trocar a camisa, porque queria ter uma camisa dele para guardar de recordação. Quando terminou o jogo, fui falar com ele para pedir para trocar. Ele foi muito legal e trocou a camisa e desejou boa sorte na minha carreira. É um cara muito bacana.”

Danilo (Chapecoense): “O estilo de jogo que ele tem foi um espelho muito grande para mim. Sou feliz por ter acompanhado a carreira dele, ter me espelhado mesmo.”
Renan (Goiás): “Eu brinquei com ele nesse último jogo, que era o último e eu não ia tomar gol dele se ele tivesse encerrado. Tive sorte de jogar umas dez vezes contra ele e não ter sofrido gol.”

Rogério Ceni, disse que fica feliz em ser exemplo para os goleiros mais novos e de ver o quanto a posição cresceu no Brasil: “Muito feliz eu fico. Vejo como o Brasil cresceu na posição de goleiro. Todos têm potencial. Há 20, 30 anos, não falávamos que o Brasil tinha dez goleiros para escolher para uma seleção brasileira. Lembro que para 2002, era o Marcos, o Dida e eu. Você não tinha uma quarta opção forte. Hoje temos 12, 15 goleiros com potencial para a seleção brasileira. Saber que de alguma maneira você pôde influenciar essa geração mais jovem, isso é o mais gratificante. Fico muito feliz por ter deixado algo de positivo.”.

E que o nosso MITO continue sendo exemplo dentro e fora de campo não só para nós são paulinos, mas para o futebol brasileiro. Orgulho de ter Rogério Ceni como ídolo.

Por: Bianca Lamattina
@spfc1935 @bialamattina