Ah o futebol! Quantas emoções, tristezas e alegrias esse esporte nos proporciona. Quantas noites mal dormidas por ansiedade, quantas noites tranquilas e aliviadas pós vitória…
Quantos palavrões exagerados, quantos cornetas merecedoras…
Quantos jogadores vestiram o manto sagrado. Quantas histórias, quantos grandiosos ÍDOLOS.

Grandiosos e alvo de muitas cobranças de seus torcedores. Os ídolos sofrem, mas crescem e por fim jamais são esquecidos.

Rogério Ceni quis começar cedo, talvez predestinado, lutou, treinou e mostrou competência. Como se esquecer do garoto que no ano de 1997 se tornava titular da equipe tricolor e mostrava logo que além de  baixo das traves,  era bom com a bola nos pés, quando fez seu primeiro gol de falta contra o União São João.

VEJA O VÍDEO:

Um ano depois o primeiro gol em clássico dentro do Morumbi. Rogério Ceni deixava registrado seu primeiro gol no rival Santos, no Campeonato Paulista de 1998, era o quinto da sua carreira. Como não ganhar confiança em um goleiro cheio de talentos?!

São Paulo F.C x Santos (28 março de 1998) 

Ídolo Ceni foi se tornando importante pouco a pouco com sua personalidade forte. Foi mostrando o quão indispensável era para o São Paulo.  Fez daquele acolhimento da torcida, sua segunda casa. Treinava como se não houvesse o amanhã, se dedicava e parecia que nunca estava satisfeito por ser considerado ídolo. E não estava! O ídolo se tornou M1TO! E hoje é motivo de muitas alegrias e fortes emoções para a torcida são paulina.

Obrigada, ídolo mito!

Por: Carolina Sbrici
@carolisbrici