É notável que o mérito do atual time do São Paulo é o chamado “quadrado mágico”. O quarteto ofensivo tricolor está recebendo elogios de apaixonados pelo futebol, como por exemplo os jornalistas da grande imprensa, jogadores de outros clubes e treinadores (até o ex-técnico corinthiano, Tite, foi ao Morumbi assistir a partida entre São Paulo e Cruzeiro, o líder e o vice-líder do Brasileirão e que estão disputando a ponta da tabela).

Os quatro jogadores que empolgam a torcida são: Kaká, Ganso, Pato e Alan Kardec. O que eles tem em comum? Tirando Kaká, que veio por empréstimo até o final de 2014, do Orlando City, os outros três atletas vieram para o São Paulo após divergências com seus times anteriores, e os três clubes são rivais diretos do tricolor do Morumbi.

O primeiro reforço a chegar foi Ganso, jogador revelado pelas categorias de base do Santos Futebol Clube. Defendeu a equipe do litoral de 2005 a 2012, passando por uma grave lesão em 2010, quando sofreu uma entorse no joelho esquerdo, ocasionando uma ruptura do ligamento cruzado posterior. Ganso ficou fora dos gramados por um bom tempo, cerca de 7 meses, mas participou de grandes conquistas e campeonatos pelo Santos (Paulista, Libertadores, Brasileiro e Mundial da Fifa). 

Ganso chegou no São Paulo em agosto de 2012, após passar por turbulências com o clube (questão salarial) e torcida santista. No Tricolor, passou pelas mãos de diversos treinadores, sempre teve desempenho oscilante e amargou o banco de reservas em alguns momentos. Com a chegada de Muricy em 2011 (mesmo técnico que o treinou na Vila Belmiro), Ganso foi se soltando e cravando seu lugar na equipe titular. Atualmente é peça fundamental no quadrado mágico e, com a chegada de Kaká, ficou mais combativo na marcação. Suas assistências geniais, seus dribles elegantes e os gols bonitos marcados tem ajudado muito a equipe e rendendo elogios até daqueles que já não acreditavam mais em seu futebol clássico.

Alexandre Pato é o segundo reforço que chegou quase que de “mão beijada” para o São Paulo. Após jogar a temporada de 2013 no Corinthians, o jogador foi do céu ao inferno. Chegou a ser o queridinho da torcida rival, mas após tentar uma “cavadinha” no goleiro Dida, em cobranças de pênaltys pela Copa do Brasil daquele mesmo ano, Pato cavou sua saída. Com insatisfação por parte do clube, torcedores fiéis e do próprio atleta, Pato foi negociado por empréstimo de dois anos (até dezembro de 2015) ao São Paulo. Em troca, o Corinthians recebeu o meia Jadson, além de assumir o pagamento de metade do salário de Pato (o Tricolor paga R$ 400 mil e o Corinthians arca com a mesma quantia). 

No Tricolor, Pato chegou desacreditado, sem moral nenhuma com a torcida. O jogador afirma que o técnico Muricy Ramalho o ajudou muito nessa fase de adaptação, para adquirir confiança e conquistar seu espaço no time. Aos poucos, em meio a gols marcados e doação em campo, Pato se firmou no time e ao lado de Alan Kardec se tornou a referência de gols para o Tricolor.

Por último, mas não menos importante, o ex-atacante palmeirense, Alan Kardec, se despediu do time alviverde e pulou o muro para a sede tricolor, na Barra Funda. Após destacar-se e ser um dos goleadores no time rival pela série B, Kardec não conseguiu chegar a um acordo amigável com a diretoria palmeirense na hora de renovar seu contrato. A condução da negociação de sua permanência no Palmeiras foi muito desgastante e o jogador confirmou, em entrevista recente para o programa “Bem Amigos”, do Sportv, a redução de R$ 5 mil no salário oferecido pelo Palmeiras após combinarem um valor pela terceira vez. Ou seja, ganhamos um craque de bola na equipe pelo simples fato do rival não querer lhe pagar o combinado, descontando um valor tão pequeno quanto trocados de pinga. Com a contusão de Luís Fabiano no meio do ano, Alan Kardec é titular da equipe e vem ajudando muito a compor a famosa linha de frente do Tricolor Paulista.

Vale lembrar que… Ganso e Kardec já foram carrascos e marcaram gols nas vitórias são-paulinas sobre seus ex-times. Ganso marcou um golaço contra o Santos, pelo Brasileirão e Alan foi o responsável pela vitória do São Paulo sobre o Palmeiras, marcando gol de cabeça nos minutos finais da partida.

Com Pato não teremos essa sorte porque SPFC e Corinthians assinaram um contrato em comum acordo firmando que os atletas (Pato e Jadson) não poderão atuar em partidas contra seus ex-times.

Quarteto é seleção? 

No último dia 17/09 (quarta-feira), o técnico Dunga fez nova lista de convocados para amistosos da seleção brasileira que será realizado em outubro e por sorte nossa (que ainda estamos na briga pelo título brasileiro) nenhum dos quatro foi selecionado para as partidas organizadas pela CBF.

Alan Kardec já foi convocado por Felipão como opção para a lista dos suplentes que disputaram a Copa do Mundo no Brasil e sua participação é esperada em algum momento. Mas grande parte da imprensa e torcedores rivais que desacreditam e criticam Ganso, Pato e até mesmo Kaká se mostraram incomodados com a não convocação desses jogadores. Já se fala até em conspiração contra o Cruzeiro – já que o clube mineiro teve dois de seus melhores atletas convocados por Dunga – em favor do São Paulo, mas chega a ser curioso o fato de muitos que tratam Ganso e Kaká como “ex-atletas em atividade” e Pato como “displicente” pedirem a convocação dos mesmos para amistosos pela seleção.

Sabemos que todo jogador sonha e busca como meta vestir a camisa canarinho do Brasil, mas quer saber minha opinião? Time bom é time bem montado, completo e entrosado e isso a nossa equipe já está. Por isso, fica aqui o meu abraço pra seleção CBF e um salve pros rivais: obrigada por nos ajudar a formar esse “quarteto/quadrado fantástico/mágico” que tem ajudado a nos resgatar a fé no futebol bonito, moderno e pra frente!

Créditos fotográficos: Pedro H. Tesch/Agência Estado e CBF

Sigam no twitter: @robertanina e @spfc1935