Sobre Alan Kardec, observa-se algumas “críticas” dizendo que ele não está exercendo seu devido papel  no São Paulo, sobre principalmente marcar gols. Não consigo ver motivo aparente para isso. Vejo um jogador com vontade de fazer seu papel como jogador. Jogar nem sempre para resolver sozinho, mais sim, ajudar a equipe.

Já soube aproveitar suas chances como titular e tem muito ainda para aparecer, e se depender de Muricy, a chance já está em suas mãos.

(Foto: Site Oficial)

Se você ainda tem o “pé atrás” aqui temos 5 motivos para acreditar em Alan Kardec:

1 . “Jogador com vontade de ser jogador”. Sabe aquilo que falta nos dias atuais? Pois é, Kardec vem mostrando que com ele a história é outra. Faz o simples, joga para ajudar a equipe. O que é essencial.

2 .  Matador! Além de ajudar os companheiros, sabe fazer gols  e muitos gols. Não é atoa que Kardec  fez um feito histórico, onde foi o primeiro jogador a fazer gols em todos os quatro grandes clubes paulistas em um mesmo ano jogando por eles.
Sorte a nossa, que agora ele veste a camisa do maior de todos esses.

3 . Sabe marcar o adversário. Sim, ele não é aquele jogador que fica parado esperando a bola no pé. Se sua função não é estar lá na frente para concluir o gol, pressionar o adversário é uma arma que vem exercendo muito bem .

(Foto: Marcos Bezerra/Futura Press)

4. Média ótima nas partidas. Atualmente, em 8 jogos pelo Tricolor, marcou 4 gols. Ótimo! Mostra que está se entrosando cada vez mais com a equipe. E que é possível esperar muito mais do jogador dia a dia.

5 . Disposição tática. De atacante, a meia e volante. Alan Kardec é polivalente, exatamente como Muricy gosta de trabalhar.
 É preciso então, observar qual função o jogador vem exercendo. Critica-lo por não marcar gols  em algumas partidas, talvez vem sendo um equivoco.

Alan Kardec, sobre esses motivos citados acima, já tem lugar garantido no time titular. Torço para que ele cresça dentro do São Paulo.
Ajudar a equipe é a melhor arma para se ajudar. Kardec sonha longe e nós torcedores são paulinos também.

Por: Carolina Sbrici
@carolisbrici