Sem mal ter chegado no Morumbi, o atacante Alexandre Pato, que pertence ao Corinthians, já se mostra incomodado com as cobranças e com o banco de reservas. Muitos torcedores são-paulinos não botavam fé em sua passagem pelo São Paulo (e eu sou uma delas, inclusive!), e agora, após contratações de Kardec e Kaká, parece que a lagoa há de secar, de uma vez por todas, para Pato… quack!

Depois de levar uma sonora bronca de Maicon em treino (sim, o Pato conseguiu essa proeza) por conta de falhas na marcação, Muricy Ramalho optou por escalar Ademílson como titular no jogo contra o Bahia nesta quarta-feira (16/7) e deixar Alexandre Pato na reserva. Eu não sei dizer qual dessas atitudes configura mais o fundo do poço, o esporro do Maicon ou a reserva do Ademílson.

A verdade é que por conta disso e de outras cobranças que sofre constantemente, o atacante já pensa em voltar para a Europa, onde ele pode transitar tranquilamente pelo high society sem ser importunado, do jeitinho que gosta. Capa de revistas de fofocas, shows internacionais, tapete vermelho e desfiles são os programas que o atacante gosta de fazer – até mais do que jogar bola, tenho plena certeza disso.

Pato modelando para Vogue Brasil

Acredito que dar adeus ao jogador não seja um problema, mas sim arcar com todo o prejuízo que ele nos trouxe, seja pela grana investida, pelo alto salário pago (Pato recebe 800 mil reais, divididos entre SPFC e Corinthians) e até mesmo pela troca envolvendo Jadson. Reforçamos um rival e perdemos um jogador com potencial que, mesmo em má fase, serviria para compor elenco. Isso só reforça o mau planejamento Tricolor que corre sério risco de ficar no preju ao bancar a vinda de um jogador que não se identifica em nada com o futebol brasileiro, que dirá com o São Paulo.

Além de Pato, Kardec e Kaká chegaram recentemente para compor o setor ofensivo, gerando disputa no time titular entre Ganso, Luís Fabiano, Osvaldo, Pato e Ademílson. Sim, é importante ter elenco forte e preparado para enfrentar o longo campeonato brasileiro, mas as condições de negócio que o SP faz são estranhas: Pato pode ser vendido pelo rival a qualquer momento sem nos deixar lucro nenhum e Kaká fica no time somente até dezembro – esses são apenas dois exemplos.

Mais do que reforçar o ataque, é preciso pensar em outros setores do time também. Sem contar a enorme importância de ter um planejamento de custos, de contratações acertadas e analisar o histórico do jogador antes de bancar o risco. Alexandre Pato nunca deu nada para nenhum time por onde passou, ou seja: legado zero no futebol!

Entenda o caso: 

No contrato, o São Paulo tem direito a 10% do valor se Pato for negociado por € 15 milhões (valor da multa rescisória). A cláusula, porém, cai para € 10 milhões (R$ 30 milhões) a partir de janeiro de 2015. Nesse caso, o Corinthians não precisa repassar nada ao rival. Por isso, a direção alvinegra gostaria de concretizar a venda no próximo ano.

Uma cláusula permite ao São Paulo ter a preferência na compra dos direitos ao igualar qualquer proposta que o Corinthians receber. O Tricolor, porém, não se mostra muito animado, sobretudo pelo rendimento do jogador até agora – três gols em 12 jogos. O clube cogita até liberá-lo neste segundo semestre, caso o Corinthians tenha uma oferta com números abaixo daqueles previstos como multa.

Fonte: globoesporte.com

Créditos fotográficos: Divulgação / Mario Testino e Léo Pinheiro/Futura Press

Sigam no twitter: @robertanina e @spfc1935