A maioria dos torcedores do São Paulo se identifica com a Seleção Uruguaia e, muitos deles, adotaram a Celeste como segundo time neste Mundial. Isso se deve aos inúmeros jogadores que vestiram o manto tricolor ao longo desses 78 anos de glórias do clube.
Eliminada na competição neste último sábado (28/6), a Celeste nos deixa boas lições de conduta, dentro e fora de campo. Pode até servir de inspiração para o nosso São Paulo daqui pra frente. Selecionei cinco destaques:

1) Time sem estrelas 

A seleção uruguaia é formada por jogadores pouco “estrelados”, mas que são capazes de formar um plantel de respeito. Os mais conhecidos são: Lugano que é capitão por muito tempo, Fórlan, Cavani e Suárez, este último, a única estrela do time, que atua na Inglaterra e foi muito bem na última temporada. A equipe é limitada, sim e cada um faz seu papel, sem status de craque, sem cabelo espetado, sem selfie.

2) Grupo unido e fechado 

Os jogadores uruguaios se tratam como familiares. O capitão Diego Lugano (nosso zagueiro campeão do mundo!) é o porta voz da equipe e carrega a faixa no braço há anos. Além disso, o grupo se defende, se apoia e mantém contato ao longo do ano. Lugano já admitiu em entrevista que eles têm um grupo no Whatsapp onde trocam mensagens sobre a seleção e assuntos dos clubes onde cada um atua. Ou seja, além de companheiros no futebol, são amigos.

3) Raça! 

Vestir a camisa do Uruguai significa lutar em cada batalha até o fim! Eles não se dão por vencidos, até que percam a guerra, finalmente! A Copa do Mundo foi o maior exemplo disso. Após perder para o time mais fraco do grupo, a Costa Rica, a seleção celeste jogou sua vida contra outros times favoritos. Venceu a Itália e a Inglaterra com maestria, emocionando o torcedor e unindo, cada vez mais a equipe.
Há quem diga que eles jogam com violência, mas a verdade é que para os uruguaios não existe bola perdida. Duvido que alguém reclame desse tipo de doação do jogador em campo.

4) Apoio ao jogador indisciplinado 

Luis Suárez, o craque, é extremamente imprevisível, goleador e cabeça quente. Ele usa a camisa 9, isso te lembra alguém? O jogador foi condenado pela FIFA após morder o zagueiro italiano em jogo que valia a classificação para as oitavas de final da Copa do Mundo. A postura do time como um todo (jogadores, comissão técnica e delegação) foi única: todos estavam ao lado de Suárez. Ninguém o culpou, ninguém o julgou, ninguém o ofendeu, ninguém o multou! A postura do time em defesa ao jogador irritou geral: imprensa e fãs do futebol. Todo mundo julgou e classificou o atacante como “doente”, “desequilibrado”, “psicopata”, mas a seleção uruguaia demonstrou apoio unânime ao companheiro e indignação pela punição imposta. Até mesmo o técnico Oscar Tabárez se emocionou ao falar sobre o caso e fez questão de renunciar um cargo que tinha na FIFA por não concordar com as normas impostas por ela.

Ps: Mesmo sem contar com a participação de Luis
Suárez em campo, a delegação do Uruguai montou o vestiário como se ele ainda
fizesse parte do time: seu uniforme estava lá, representando-o. Maior prova de
respeito e carinho, impossível!

5) Torcida confia e está ao lado do time 

O torcedor uruguaio joga com o time e segue junto, até mesmo no momento difícil. Nunca deixaram de acreditar na classificação e, após o incidente com o melhor jogador da equipe, não deixaram de apoiá-lo e demonstrar indignação pela suspensão. Os uruguaios se uniram para receber Suárez no aeroporto de Montevidéu para demonstrar carinho. Pelas redes sociais, a manifestação favorável ao atleta era praticamente 100% e em nenhum momento, o jogador se sentiu hostilizado.
Já pensou se ele fosse brasileiro e cometesse uma atitude antidesportiva como essa? Com certeza seria xingado, achincalhado e, até mesmo, ameaçado de morte. O nosso perfil de torcedor/julgador é completamente diferente dos uruguaios.

As palavras mais ditas pelos jogadores uruguaios em entrevistas são: raça, cabeça erguida, união, lealdade, hombridade, caráter, compromisso e dedicação. E todas elas são seguidas dentro de campo. Fica aqui a minha total admiração e respeito pela seleção uruguaia e por todos os jogadores que vestiram o manto celeste. Sua história no futebol é riquíssima e deve ser respeitada por todos nós e, se puder servir de inspiração para o nosso time do coração, melhor ainda!

#SoyCelesteSouTricolor

Sigam no twitter: @robertanina e @spfc1935

Créditos fotográficos: AFP / Placar.com.br / AUF Seleccion