Qual é a do País do Futebol?

Fernanda Colombo, Árbitra Auxiliar da CBF, pode ter sua carreira marcada pela reação descabida da sociedade futebolística (leia técnicos, torcedores e imprensa especializada) depois da quarta rodada do Brasileirão. Pela segunda vez seguida, em menos de 5 dias, foi alvo de comentários depois de bandeirar dois jogos, todos associando sua beleza x suas atuações .

A moça marcou um impedimento em um lance normal, que poderia resultar no empate do Cruzeiro no clássico mineiro. E tivemos que ouvir do Diretor de Futebol do Cruzeiro dizer:
 “Estão tentando promover ela porque ela é bonitinha e não é por ai. Ela tem que ser boa de serviço, profissional e competente. O erro dela foi muito, muito, muito anormal, coisa de quem está começando uma carreira. Se é bonitinha, que vá posar para a Playboy, não trabalhar com futebol”.
No mesmo fim de semana, Lúcio, zagueiro do Palmeiras, se beneficiou de posição irregular para marcar o segundo gol na vitória do time contra o Goiás. E você consegue dizer qual o nome do auxiliar que não deu o impedimento? Claro que não e por que será?
Em uma breve pesquisa pela internet encontrei uma tese de graduação sobre o impedimento, intitulada “O problema da simultaneidade na lei do impedimento do futebol”, o estudo mostrar que não é possível a marcação correta da infração do impedimento em todos os casos. Essa impossibilidade se dá pelo fato de o arbitro auxiliar responsável pela marcação da infração não possuir um campo de visão correspondente a 180◦, mas de aproximadamente 30◦a 40◦ que permite a detecção simultânea de eventos.
Onde estão todos os cidadãos de bem que se indignaram com os episódios de racismo sofrido por jogadores e o Árbitro Márcio Chagas da Silva?