26 de abril é dia lembrar daqueles que, independente da modalidade em que atuam, são valorizados por serem os únicos a terem a honra de tocar a bola com as mãos. O número 1, responsável por defender e salvar muitos clubes e seleções. Que podem ir do céu ao inferno em muitas decisões, sendo salvadores e heróis de muitos times. Estou falando nada mais nada menos do que os Goleiros.
Hoje comemoramos o Dia do Goleiro e, é claro que não poderíamos deixar de prestar nossa homenagem à todos os atletas brasileiros, sejam eles do futebol, handebol, hóquei, enfim, para todos aqueles que atuam nos times em que utilizam o gol como contagem de pontos.

No dia de hoje, o ex-goleiro do SPFC, Zetti, reuniu em São Paulo, mais de 300 atletas da posição para prestar uma homenagem aos seus colegas de gramado. O evento ocorreu pela manhã deste sábado no Estádio do Ibirapuera.


“A idéia é juntar o maior número de goleiros treinando ao mesmo tempo. E junto com nomes consagrados do futebol brasileiro, faremos um grande trabalho e uma homenagem justa a todos que amam a posição”, disse Zetti.

O evento contou com a presença não só dos alunos da escolinha “Fechando o Gol”, criada pelo ex-jogador em 2008, mas também contou com a participação de ex-goleiros que fizeram história em vários clubes brasileiros, entre eles: Waldir Peres, Ronaldo e Velloso. Além dos jogadores Belletti, Raí, Neto, entre outros.

Zetti ingressou no SPFC no ano de 1990, época em que o atleta teve a melhor fase da sua carreira. Vestindo o manto Tricolor, o goleiro conquistou o bicampeonato paulista de 1991 e 1992, Brasileirão de 1991 e títulos Continentais e Mundiais de 1992 e 1993.

Deixo aqui a minha homenagem aos atletas que compõem a defesa de vários clubes espalhados pelo Brasil e pelo Mundo. Em especial o meu muito obrigada aos goleiros que atuaram no SPFC, até hoje. Ao Zetti, que fez história no Tricolor e nos garantiu muitas glórias, sem esquecer do nosso atual ídolo, Rogério Ceni, que foi substituto da “Muralha” Zetti e que à mais de 20 anos honra a camisa e faz os torcedores sentirem cada vez mais orgulho de torcer pelo São Paulo FC.

Por: Mariana Telhada
Twitter: @telhadinha  – instagram: @maritelhadinha
Créditos / entrevista: Jornal Estadão.