Na próxima quarta-feira (16), o Conselho Deliberativo do São Paulo Futebol Clube escolherá o próximo presidente do clube. Com certa vantagem, Carlos Miguel Aidar da situação é o favorito.

No começo do ano, nossa coluna entrevistou Aidar e Kalil Rocha Abdala (candidato da oposição) com o intuito de ouvir suas propostas de mandato.

O que mais chamou nossa atenção foi que ambos os candidatos destacaram em seu programa de governo a criação de diretorias femininas dentro do clube. Por conta disso, ouvimos o que cada um deles tem em mente para que as mulheres também ganhem espaço dentro do São Paulo. Veja o que cada um deles destacou sobre o assunto:

CARLOS MIGUEL AIDAR 

O candidato fez questão de frisar que sua ideia de ter uma mulher comandando um cargo administrativo no São Paulo é algo muito sério. “Essa ideia não é mote eleitoral, tem razão de ser”, assumiu Aidar que relatou achar um absurdo não ter visto uma mulher na diretoria da OAB enquanto foi presidente da Ordem dos Advogados do Brasil.

Segundo o candidato, o sistema eleitoral do São Paulo oferece bastante espaço para que uma mulher seja responsável por uma pasta no clube. “São eleitos seis vice-presidentes (um geral e cinco específicos) e 18 diretores. Tenho vontade de contemplar uma diretoria com uma mulher, mas para isso acontecer é preciso encontrar uma que seja qualificada, só que eu ainda não sei quem”, disse.

Após eleito, Aidar convidará pessoas preparadas para compor sua diretoria e uma, ou mais mulheres, podem fazer parte de seus escolhidos. “Aquela que for eleita terá voz ativa dentro de sua área de atuação. Será consultada em qualquer assunto no que diz respeito à pasta que responde. Por exemplo, se uma mulher é eleita como diretora da parte de tênis, ela será encarregada de cuidar da área do tênis de forma geral: da quadra, da rede, dos pegadores, das bolinhas, das proteções, do piso, cuidará de tudo! Tem problema, avisa o presidente. Tudo que engloba sua pasta, ela vai agir sempre!”, explica Aidar que reitera dizendo não ser uma “ala feminina”, mas que as mulheres farão parte de direções junto com os homens.

Além disso, o advogado afirma que sua ideia é que a diretora também exerça a função de auxiliar na presença maior da mulher nos estádios e valorizá-la. “Nossa torcida feminina não é maior nos estádios por conta da segurança. Hoje em dia, a mulher vai sozinha aos estádios, ela não depende de um homem para levá-la. Mas como é possível que ela possa levar seu filho e defendê-lo numa situação perigosa? Se nem os homens conseguem se defender…”, conta Aidar, que cita a importância de ter segurança especial para mulheres, melhores condições de acesso e banheiros decentes.

Para finalizar, Aidar afirma que seu conceito de gestão vai abrir espaço para mulher dentro do clube, algo que jamais foi feito dentro do São Paulo. “Mulher é muito mais competente que o homem porque ela precisa ser melhor para se equivaler no mercado de trabalho. O mercado ainda é dominado pelo homem e a mulher, para se sobressair, precisa ser melhor que o homem. Por conta disso, ela é mais séria, mais dedicada e mais competente. Vejo pelo isso âmbito do judiciário. Quero essas mulheres competentes do meu lado porque isso vai ser bom para o São Paulo Futebol Clube”.

KALIL ROCHA ABDALLA 

Kalil também promete uma diretoria feminina, mas afirma que só conseguirá pensar em algo mais concreto após eleito. Também afirmou que em sua chapa apenas 10% das mulheres votam. 90% delas são dependentes, ou seja, o marido é sócio e ela é dependente.

“Surgiu a ideia de fazermos um departamento feminino, mas não sou eu quem vai decidir isso. Vou nomear pessoas que possam decidir como implantar essa ideia”, afirmou Kalil.

O candidato também dará autonomia para que cada departamento cuide de sua pasta, sem precisar intervir diretamente, para isso, ele terá seus representantes. “São projetos que ainda serão feitos por uma equipe, mas não sei dizer quantas mulheres farão parte porque não tenho exatamente o número de sócias”, adiantou Kalil.

Se a promessa de ambos os candidatos vingar, será muito importante para nós mulheres contarmos com uma representante. Seja no futebol ou em outro departamento, a presença de mulheres dentro de um clube de esportivo é totalmente válida e tem o seu valor. Só nos resta esperar para conhecer as escolhidas que representarão a classe feminina dentro de nosso clube de coração!

*As entrevistas com os candidatos foram realizadas por Bianca Lamatina e Roberta Cardoso

Sigam no twitter: @robertanina, @bialamattina @spfc1935