Por Roberta Nina (@robertanina)

A temporada de 2013 do São Paulo Futebol Clube foi pífia, digna de time pequeno, mesmo. Foi um ano diferente, mas marcante. Temporada para ser esquecida, mas que permaneça o exemplo para que o clube não cometa os mesmos erros.

Após a conquista da Sulamericana no final de 2012, muitos apostavam que o plantel era digno de brigar por títulos e que Ney Franco tinha dado um padrão tático ao time. Ledo engano! Quem poderia imaginar que o São Paulo passaria boa parte do ano brigando para não cair e acumulando uma série de derrotas ao longo do campeonato? Foram sete jogos seguidos sem vencer no Brasileiro (da rodada de número 3 até a nona). Após a vitória “tira zica” contra o Náutico, o time ficou mais cinco jogos sem pontuar três tentos (da 11º à 14º rodada). Até o nome de Paulo Autuori foi parar na lama após maus resultados.

Na beira do abismo, figurando a zona de rebaixamento, Muricy Ramalho foi chamado, as pressas, para resolver o problema do time, no campo e fora dele. A equipe estava cabisbaixa, sem forças para lutar, mas levou uma injeção de TRABALHO nas veias e reagiu.

Ele chegou na 20º rodada com vitória contra a Ponte Preta e em seguida, venceu o Vasco da Gama. Os dois times eram adversários na briga pela salvação e o resultado veio. Na sequência, vencemos o Galo em casa e Muricy completou 200 vitórias no comando do time que estava em 18º lugar antes de sua chegada e, após essa vitória, passou para 13º. As rodadas seguintes vieram pra mostrar que nada estava decidido ainda: derrota para o Góias por 1×0 aos 44 do segundo tempo, derrota de 1×0 para o Grêmio em um jogo que o Tricolor foi infinitamente melhor e um sacode de 3×0 para o Santos (com direito a gol de Léo) em uma partida irreconhecível serviram de exemplo para que o time acordasse!

A sequência de vitórias ressurgiu, mas confesso que esses jogos foram os mais sofridos da minha vida. Rádio e TV ligados, Twitter a postos e presença no estádio para apioar o time marcaram o meu ano de força ao São Paulo. Relembrar esses jogos me faz respirar aliviada:

São Paulo 3 x 2 Vitória -> Que jogo!!!!!!!!!!! Vencemos o time de Ney Franco na raça, com dois gols de Ântonio Carlos e ainda tivemos que engolir um gol de pênalti bizonho cobrado pelo nosso ex lateral Juan.

Cruzeiro 0x2 São Paulo -> Vencer o líder no Mineirão e sem Rogério Ceni no gol era uma tarefa impossível, mas nós conseguimos o improvável! Com gols de Reinaldo e Douglas, o Tricolor calou os mineiros e quebrou a invencibilidade do atual campeão do Brasil. Inesquecível!!!!

São Paulo 0x0 Corinthians -> Tricolor melhor em campo, mas o empate veio após um pênalty perdido pelo nosso Capitão. Foi doído, mas a gente tava na briga!

São Paulo 3×0 Náutico -> Pode parecer que foi fácil, mas não foi! Ganso maestrou e a gente se afastava de vez do Z-4

Bahia 0x1 São Paulo -> ÉPICO! Boi Bandido marcou o dele e com dois jogadores a menos, o São Paulo segurou o resultado no sangue. Muricy deu show após a vitória ao se dirigir à torcida, bater no peito, no braço e se emocionar! É MAIS QUE TRABALHO! É AMOR! 

Internacional 2×3 São Paulo -> Foi suado vencer a equipe gaúcha no Sul. E como foi! Mas Boi Bandido realizou um hat-trick e nos deu mais três abençoados tentos!

São Paulo 2×1 Portuguesa -> Dia de apoiar! E lá fui eu e mais 50 mil torcedores ver nosso Tricolor vencer, mais uma vez, com gol de Aloísio. Jogo duro, pra variar!

Na rodada seguinte, a derrota veio. 3×0 para o Atlético Paranaense que tem uma equipe muuuuito mais superior que nossa. Era de se esperar! Ganhamos do Flamengo, perdemos para o Flu nos acréscimos, empatamos com o Botafogo e no domingo perdermos para o Criciúma. A última rodada será contra o Coritiba, mas o Tricolor já respira aliviado há algumas rodadas.

Posso dizer que foi um ano emocionante, mas não do jeito que estamos acostumados. Ficou claro para todo mundo que o péssimo desempenho (um dos piores da história) do time em 2013 ultrapassou o limite das quatro linhas. A péssima gestão é a maior culpada por tanto retrocesso dentro de um clube que servia de exemplo para tantas outras agremiações. A falta de alguém que cuidasse com responsabilidade do futebol foi a principal causa pela montagem horrorosa de elenco para a temporada. Jogadores novatos, lesões a rodo, expulsões, troca de técnicos e falta de identificação com o clube são alguns exemplos para ilustrar um ano pífio.

Para 2014, o torcedor São Paulino ainda tem esperança que a situação seja outra e tenho certeza que a opinião sobre o técnico é unânime: A entidade São Paulo Futebol Clube deve muito à Muricy Ramalho, a grata surpresa para um ano (in)esquecível!

Vamoooooooooooooooo São Paulooooooooooooooooo!

Créditos fotográficos: Instagram @saopaulofc e Divulgação

Sigam no twitter: @robertanina e @spfc1935