Quem esperava ver um time mais forte, unido e aguerrido, ficou satisfeito com a atuação no último confronto.

Já quem imaginava uma partida empolgante, com algum lance mágico ou um drible maravilhoso, se frustrou. Mesmo assim, e com tantos gols perdidos, conseguimos ver EM CAMPO aquilo que sempre pedimos: a superação, a vontade, o suor, a dedicação. Fizemos frente ao adversário e fomos melhores.

FORA DE CAMPO, nosso melhor atacante, com dores. Ok, sabemos como é difícil conviver com dores e por isso mesmo estamos dispostos a tudo pra nos livrarmos de conhecer a dor do rebaixamento. A tudo mesmo.

Não seria redundante mencionar aqui, as mazelas na vida de inúmeros torcedores que carregam um amor enorme ao clube e que o praticam com religiosidade, apesar delas. Que toma chuva, sol, compra ingresso, pega fila, paga estacionamento, gasta passe, bilhete único, enfrenta polícia despreparada, troca passeio de fim de semana com a família pra te ver jogar e TAMBÉM sente dores. Dores físicas, dores da vida, dores de amores…E por mais agudas que elas sejam, não param suas vidas só para poder sentí-las.
(Gaspar Nobrega/VIPCOMM)
Me lembro como se fosse ontem do último pedreiro que esteve em casa porque a primeira impressão foi de fato muito impactante, parecia o Gargamel. Mas foi só se deparar com uma escada e um andaime que logo se transformou, parecia um gato, um homem aranha ou sei lá eu o que. Depois me explicou que andava encolhido daquele jeito por causa da hérnia de disco, do bico de papagaio, do desvio na coluna. Não consegui responder. Nem esquecer. Que exemplo!

Em tempos de tantas campanhas surgidas na internet, deixo aqui minha sugestão, para que o Muricy pegue os jogadores mais doloridos do elenco e os coloquem frente a frente com cada funcionário desse clube, que dependem do futebol deles pra ter o que comer no fim do dia e para sobreviver com a família. Mostre todos, mas mostre especialmente aqueles cujas marca das dores já sentidas pela vida estejam estampadas na cara.

Mostre também, um dia na vida do torcedor que atravessa a cidade, usa transporte público, que deixa de comprar pão e leite pra comprar ingresso e passagem pro próximo jogo…Peça que encarem a torcida, mas não com marra, com coração aberto pra enxergar as dores dos torcedores também. E mostra por fim, a loucura, paixão e dedicação que temos, com dores ou sem, felizes ou tristes…

Diga, que jogador consegue derrubar técnico, time de divisão, só o que não consegue é desviar os olhos do torcedor daquilo que é ideal para o clube.
 
Nós, estamos fazendo a nossa parte. E continuaremos. Muitas vezes indo além do limite. E é isso que esperamos de vocês, afinal, agora são 10 finais ou uma só. Precisamos de todos, mas de uns mais que os outros…
 
Vai, Tricolor e vamos, Luis! Tenha brio, mostra sua força. Saiba que mais importante que posição em ranking, é a que ocupa no coração do torcedor. Seja forte, sue sangue. E até nas dores estaremos com você!
 
Saudações São Paulindas!
Por Carol Nader
Twitter: @NaderCarol