Saudações tricolores!

Vencemos o Vitória! Foi suado, sofrido, o gol saiu no finalzinho…A arbitragem (mais uma vez) deixou um lance absurdo seguir na cobrança de penalty do Vitória…Mas foi um jogo totalmente diferente do último, contra o Santos, que o time parecia morto.

O que acontece com o SPFC? Um jogo lutando, tentando…No outro, parece outro time: apático, perdendo bolas, sequer tentando…Por que esta bipolaridade tricolor? Aqui vão algumas idéias que podem explicar esta característica atual do time do SPFC:

1) Preparo físico completamente inadequado; Quem vê o time do SPFC jogando, correndo, sabe que esta característica não se mantém. O time não consegue correr 2 jogos seguidos na mesma maneira. E a quem devemos ‘agradecer’ a isso? Ao fato de a comissão técnica vencedora (incluindo preparador físico) ter sido toda mandada embora pela atual diretoria. Carlinhos Neves, Turíbio, dentre outros fazem uma falta terrível…E a gente vê isso em campo. 
2) Psicologia do time; O jogo contra o Grêmio foi um divisor de águas (para o lado ruim). O time tentou, lutou e jogou bem! Foi garfado em pleno Morumbi, com Kléber colocando a mão na bola gritantemente em lance de cobrança de falta do SPFC: penalty claro, não marcado. Jogadores do Grêmio fazendo faltas graves, já com cartão amarelo e ninguém sendo expulso. Ou seja, para o psicológico do time isso foi péssimo. O time se sente impotente, como se nada que fizesse fosse alterar a situação. A gente viu isso no jogo seguinte, contra o Santos. O cérebro costuma pregar peças em todo mundo…Temos, muitas vezes a tendência de acreditar que a situação é uma, quando na verdade pode somente ser um momento, ou fase…Mas o cérebro não encara assim. Tem que se fazer um esforço pra se convencer a si próprio que aquele momento pode mudar. Sabe quando você está em uma semana difícil no trabalho e quebra um copo? É só um copo quebrado, mas nosso cérebro muitas vezes já encara: ‘Tá vendo? Ô fase! Semana ruim e ainda acontece isso!’. Na verdade, uma coisa pode não ter relação nenhuma com a outra, mas o nosso cérebro pode encarar que tem. Estamos com problema no trabalho e aí tudo está ruim: o copo quebra. É mais ou menos o que costuma acontecer quando o time está em ‘má fase’: acha que nada vai mudar, que se chutar uma bola ela não vai entrar…Que se tentar alcançar uma bola, não vai conseguir… Tudo conspira contra…Imagine o torcedor pensando isso…Agora, imagine 11 jogadores pensando assim… Quando a cabeça não colabora, o corpo não reage, dificilmente a vitória vem. Ontem foi diferente: o time lutou, tentou e foi recompensado. Contra o Grêmio, o time tentou e não conseguiu. Psicologicamente, acredito eu, que a derrota para o Grêmio refletiu muito mal na equipe. Mas a vitória de ontem pode ter exatamente um efeito animador, de fazer com que o time acredite que possa permanecer fora do Z4. 
3) Falta de elenco; Alguns jogadores não tem reservas à altura. A gente sabe muito bem que agora, contra o Cruzeiro, Rogério fará uma falta tremenda. Na linha não é diferente. Se não joga Antônio Carlos na zaga, o time fica muito fraco. Se não joga Rodrigo Caio, idem. Ou seja, jogadores que não podem ficar fora, mas se estão cansados, não irão ter o mesmo desempenho em partidas seguidas. 
4) Arbitragem deficitária, sobretudo no Morumbi; Não tem como se desanimar com lances como a cobrança de falta do Grêmio e o subsequente penalty claríssimo não marcado pela arbitragem…Ou a cobrança de penalty de Juan ontem: dois toques. E desde quando penalty permite dois toques? É um toque só. Errou, pronto. Mais um lance ignorado pela arbitragem…Aí as inúmeras faltas a favor do SPFC de jogadores pendurados que não levam cartão vermelho…Mas uma reclamação de Rogério Ceni ou Luís Fabiano já resulta em amarelo… Quando a situação é ruim na tabela, lances como estes em pleno Morumbi afetam não só torcedores, mas jogadores também. Minha opinião? Falta um pouco de pulso da atual diretoria em deixar claro que o Morumbi é casa do SPFC, que erros de arbitragem pode ocorrer? Podem. Mas erros absurdos como estes são inaceitáveis. Botar um pouco de pressão na arbitragem muitas vezes funciona. É aquela história: ‘Aqui é o Morumbi, aqui vou prestar mais atenção, aqui não posso errar’. Árbitros tem que começar a encarar assim. Erros absurdos não podem mais acontecer no Morumbi. 
Agora vem o Cruzeiro… Time que, pra mim, vai ser campeão de 2013. Rogério Ceni está suspenso… Como será que o time se comportará? Só nos resta torcer que a vitória de ontem dê um ânimo e, mais uma vez, os atletas consigam se superar e trazer um bom resultado, pra ficarmos fora do Z4. 
Thaís Cachuté Paradella.