Na última quinta-feira (26), o São Paulo FC iniciou mais uma competição importante pelo torneio internacional. Atual Campeão da Copa Sul-Americana, o Tricolor paulista entrou em campo contra o Univ. Católica (Chile) para disputar as oitavas de final.

 Fizemos um bom jogo e fomos superiores em boa parte do primeiro tempo, mas infelizmente a vitória não veio, mantivemos o empate de 1×1 e não garantimos a vantagem no jogo de volta que acontece no próximo dia 23 de Outubro.

 Se voltarmos um pouco no tempo, mais precisamente em 1994, Muricy Ramalho volta a reviver a disputa por um torneiro intercontinental. Naquela época, Muricy era auxiliar técnico do saudoso e eterno Telê Santana. O clube não havia tido uma boa campanha durante o ano e acabara de ser eliminado da Taça Libertadores da América na decisão por pênaltis, para o time do Vélez da Argentina.
 
                                                   (Imagem divulgação/site oficial)
Por conta da quantidade de jogos disputados durante o ano, Muricy Ramalho montou um time só de jogadores da base, que na época foi titulado de “Expressinho Tricolor”. Com as novas gerações da época, o São Paulo pode contar com dois times: o titular (time a) e o Expressinho (time b), que jogou com Rogério Ceni; Vitor; Nelson (Juninho); Bordon e Murilo; Mona, Pereira, Vaguinho e Denílson (conhecido pelos seus grandes dribles); Catê e Toninho.

Apesar de desacreditado, graças ao expressinho o clube paulista conquistou o título inédito da Copa Conmebol de 1994, contra o Peñarol. No jogo de ida, no Morumbi, o Tricolor paulista venceu a partida por 6×1. Já no jogo de volta, em Montevideo (Uruguai), perdemos a partida por 3×0. O que consagrou o clube campeão foram os gols marcados em casa.

“Não tínhamos nenhuma chance. Ninguém acreditava que a gente passaria da primeira fase. Aí foi dando liga, foi se encorpando. Em mata-mata, é assim. Deu no que deu. A gente foi campeão, uma surpresa muito boa. Era um título que o clube não tinha e não era esperado. O sabor foi muito bom” – declarou Muricy em entrevista ao site ESPN.

Fazendo um paralelo do São Paulo de 1994 com o de hoje, é evidente que a história torna a se repetir, tendo em vista que o clube vem passando por diversas reformulações e não atravessa uma boa fase no Campeonato Brasileiro.

Quase 20 anos depois, Muricy Ramalho resgata o que viveu no passado e incrivelmente renasceram as esperanças de um time que estava praticamente entregue ao rebaixamento. Os resultados são de encher os olhos dos torcedores. Praticamente em um mês, Muricy conseguiu trazer os torcedores de volta ao estádio, deu um novo gás ao elenco, corrigiu o meio defensivo, exigiu força nas marcações e criatividade dos jogadores.
 
É difícil dizer se o foco hoje é a Sul-Americana ou o Brasileirão, já que são campeonatos importantes, mas de características diferentes. Cabe ao Muricy Ramalho aproveitar bem as peças que foram lhe dadas e administrar os dois lados de forma que ambos os torneios sejam disputados com a mesma raça e vontade. Currículo pra isso ele tem. E apoio da torcida também!

Avante, Tricolor!

Por: Mariana Telhada
Twitter: @telhadinha