Não se pode fazer coisas erradas e esperar resultado positivo, mesmo assim, esse retorno tinha tudo pra ser bem mais tranquilo. O time já apresentava uma discreta evolução, o adversário também brigando pela ponta de baixo da tabela, ambos com elenco limitado (que tristeza, meu Deus!). Típico jogo que é definido pela postura dos jogadores em campo.

Mas de positivo mesmo só o gol do Lucas Evangelista. É verdade que no primeiro tempo teve dificuldade em dar sequencia as jogadas, mas, se o São Paulo é o clube da fé ontem esse menino foi a personificação dela, porque logo no início do segundo, deu um chapéu daqueles, fintou meio time adversário e guardou o dele.  Nome de craque, jogada de craque e marcou num jogo (quem diria) dificílimo. É disso que precisamos (viu, Ganso?).

De negativo, duas constatações: uma que bola aérea e penalidade máxima tem quase o mesmo efeito nesse time. E duas, independente de ter converter ou não, é vergonhoso o batedor oficial ser nosso goleiro de 40 anos. Cadê o Luis pra chamar a responsabilidade numa hora dessa? Nosso Mito já tem sido bem castigado pela imprensa e é com tristeza que vejo hoje, novamente, o erro destacado pela maioria e não o fato de que não fosse a boa atuação dele teríamos um placar ainda pior. Mesmo naquele festival de erros, ele que é crucificado…Falta de respeito define. Tanto da imprensa quanto de parte da torcida.

Se por um lado pode-se elogiar Autuori por deixar Ganso e Osvaldo inicialmente no banco, dizer o que de ter deixado o Wellington e Douglas de titulares? Num passado não muito distante esses dois não serviriam nem pra compor elenco…
(Imagem: Rubens Chiri)

Tudo bem que a excursão foi cansativa, mas o time que vimos em campo ontem, de um modo geral não era nem de longe o que se espera de um confronto direto contra o rebaixamento.

Que não temos elenco já sabemos, por isso mesmo é tão importante contarmos com a raça individual de cada um, porém, nesse quesito contamos exclusivamente com Aloísio, que graças a isso (e só por isso), periga alcançar status de ídolo na torcida, mesmo sendo autor do lance mais bisonho da partida, em que tirou o gol do próprio time com a mão, tamanha fome de bola e empolgação com essa neovalorização da raça.

A verdade é uma só, se enfrentamos essa dificuldade pra jogar contra um time que está na zona do rebaixamento, o que esperar dos outros confrontos? Por mais maluco que seja o futebol, podem anotar, coisa boa não é.

Não temos jogadores, nem diretoria então o que faz a diferença é a atitude. E hoje quem teve foi a Portuguesa. Outro dia foi o Goiás, no outro o Bahia, o Vitória e façam figas para que em breve não possamos incluir nessa lista Boa Esporte, Avaí e Icasa. Aliás, não fosse pelo Mito e nossa torcida, esse elenco merecia sim disputar a série B. E independente de merecimento é bem capaz que jogue, porque o Palmeiras ano passado na décima segunda rodada somava 10 pontos, um a mais que a gente…

Mas vamos lá, de coração porque tudo na vida sempre tem o lado bom, e o dessa partida foi o terceiro amarelo pro Douglas, que irá desfalcar o Tricolor no próximo jogo. Quem sabe esse não era o reforço que precisávamos pra fazer as pazes com o futebol, né?
 
Saudações São Paulindas!
Por Carol Nader – @NaderCarol