Grande parte da torcida tricolor cresceu vendo o time
conquistar títulos, ou se não houve o triunfo, presenciamos vitórias marcantes.
Muitos viram Rogério Ceni desde novo ganhando espaço, salvando o time – seja
com suas defesas ou gols decisivos -, levantando taças e pouco a pouco se
tornando o líder da equipe. 
Depois de tanto tempo essa mesma torcida têm visto
constantes oscilações no time e as marcas que o tempo e a experiência deixaram
no goleiro. Rogério certamente nunca lidou com uma situação tão delicada quanto
a de agora, mas após tudo o que conquistou no São Paulo ele assume o papel de
“professor”.
 Dessa vez, porém, seu desafio é ensinar uma matéria que ele pouco conhece:
lidar com situações adversas. Seu papel é conduzir os jogadores mais jovens a
lidar com essa crise instaurada, mesmo que ele não seja
um especialista no assunto. 
Por outro lado, pudemos ver que a experiência lhe
trouxe uma serenidade que é tranquilizante para a torcida já que, exceto o
nosso capitão, acompanhamos um time perdido, afobado e nervoso. Imaginem o time
como está atualmente sem uma força que o empurre e oriente?

O debate “Ceni deve ou não pendurar as luvas”, que existe
também entre torcedores são paulinos, deve ser posto de lado nesse momento. Após
algumas rodadas salvando novamente o time e evitando que o caos fosse maior,
devemos depositar toda a confiança para que ele continue transmitindo sua
inegável liderança para a equipe, pois independente da opinião de cada um o
momento é de deixar Rogério cumprir sua mais difícil missão que pode ser,
talvez, uma de suas últimas.

____________
Por: Natascha
– Natascha está participando do processo de seleção de novas São Paulindas do SPFC1935.
Se você gostou do texto dela, dê um curtir!