Por Jaque Amaral – @_jaqueamaral .

Em meio a tanto assunto referente ao Tricolor, eu poderia falar da crise; poderia falar dos, ainda, conflitos entre Rogério Ceni e Ney Franco; poderia falar também da diretoria e presidência; poderia falar, lamentavelmente, do desempenho dos jogadores em campo, e, também, do avanço que estamos tendo, a longo prazo – o que já é uma luz no fim do túnel. É um conjunto bem importante de fatos, porém, o mais importante, é o que vou mencionar: o amor pelo SPFC.
Uma coisa é certa: somos movidos por um sentimento que não se explica. Sentimento esse que só é compreendido, de verdade, por quem o carrega também. E isso, independente do time.
Futebol é assim, imprevisível. Não gostamos, obviamente, mas temos decepções. E, atualmente, tem sido freqüente. Mas entre as imprevisões há também aqueles lances inacreditáveis que, às vezes, mesmo não acreditando muito, nos surpreendem, enchendo-nos de alegria e nos deixam em êxtase. E essa é a graça do futebol. A luta, a raça, o surpreendente, o imprevisível, as surpresas…
Em meio a tudo o que estamos passando, apenas uma certeza vem a minha mente. A certeza que esse é o time que eu escolhi torcer, apoiar e amar. E que eu amo de todo meu coração. Hoje em dia muitas pessoas desistem fácil demais. E após algumas decepções já não querem mais. Mas algumas decepções são necessárias e, nesse caso, vieram para mostrar o quanto sou ligada ao meu time e o quanto ele influencia em minha vida. E, principalmente, o quanto quero estar do lado dele em todos os momentos. Cobrando o que deve ser cobrado, sem dúvidas, mas nunca o deixando de lado.
E mesmo carregando esse sentimento e esse amor dentro de mim – e fora também, sempre estou carregando coisas do SPFC comigo, rs – percebi que o bem do clube está acima disso. Eu quero e preciso muito ver meu time crescer e se glorificar novamente. Certas coisas são tão importantes quanto ganhar títulos. Se não ganhar, que a luta tenha sido acirrada. Que tenha ficado entre os primeiros. Que seja referência. Quero o futebol-arte que o São Paulo tinha há muito tempo atrás. Mas também quero que os torcedores amem de verdade. Quando torcemos todos juntos, nos tornamos uma família. Somos mais fortes! E isso é o que mais quero ver: o São Paulo ganhar força e se potencializar. Voltar a ser o “Dentre os grandes, és o primeiro”.

Saudações Tricolores!
Espero que tenham curtido a matéria!
Acredito que reproduz o que muitos devem sentir.
Até o próximo sábado!
Beijos, São Paulinda Jaque