Jose Poy

  

Por Kelly Elias – @KellyEllias

Saudações São Paulinas,

 O grande jogador a ser homenageado hoje vestiu a camisa do nosso glorioso SPFC. Seu nome é José Poy, ou simplesmente Poy.
Poy foi um dos maiores goleiros que já passaram pelo SPFC, dedicou-se pelo clube por 38 anos, e durante 13 anos foi titular. Por ser tão seguro, foi convidado para vestir a camisa da Seleção Brasileira na Copa de 1954, mesmo sendo argentino. Na época a imprensa chegou a pressionar os dirigentes que chegaram a conversar com ele sobre a sua naturalização, 
mais a ideia acabou não dando certo.
O goleiro chegou ao São Paulo em 1948, vindo a ser titular em 1950. Poy disputou 565 jogos pelo clube, sendo o terceiro atleta que mais atuou pelo São Paulo. No período que vestiu a camisa do clube, conquistou quatro vezes o campeonato paulista em 1948, 1949, 1953 e 1957. Suas principais características como goleiro eram: a regularidade, a eficiência, a técnica e a garra. Poy é considerado até hoje, ao lado de Rogério Ceni, o maior goleiro de todos os tempos do SPFC.
Encerrou a carreira em 1963, a partir dessa data o Brasil começou a conhecer Poy fora das quatro linhas. Logo após encerrar a carreira, Poy se tornou treinador de futebol. Como treinador do SPFC foi vice-Nacional em 1971 e 1973, campeão paulista em 1975, vice da Libertadores em 1974 e vice paulista em 1982. E ainda lançou vários jogadores no São Paulo como: Serginho Chulapa e Muricy Ramalho.
Além de jogador, técnico e olheiro Poy, também foi o maior vendedor de cadeiras cativas do Morumbi. Ele vendeu sozinho oito mil (das doze mil disponibilizadas) ajudando e muito na realização do estádio do nosso SPFC.
Palavras de Poy em 1982: “Nasci e vou morrer no São Paulo”, “É aqui onde surgi e é aqui que vou terminar”.
Palavras de Muricy Ramalho: “José Poy não era um técnico que sabia muito bem ser paizão quando era necessário. “O Poy fez esse papel”. Eu aprendi muito com ele. E olha que era bronca total todos os dias. Ele queria que eu cortasse o cabelo e eu não cortava. O Poy sempre me dava conselhos. Hoje, eu sei que ele fazia isso porque gostava de mim. Era como um pai que cuidava de um filho, conta emocionado o ex-meia, comandado por Poy nos anos 70.”.
José Poy faleceu dia 8 de fevereiro de 1996 em São Paulo. Amor e dedicação são as melhores palavras que explicam o sentimento de Poy pelo SPFC.
Obrigada Poy, por tudo que você representou para o nosso SPFC. E por suas conquistas que jamais serão esquecidas por nós são paulinos.

Nome Completo: José Poy
Data de nascimento: 11 de Abril de 1926
Local de nascimento: Rosário, Argentina.
Falecido em: 8 de Fevereiro de 1996.
Posição: Goleiro
Local da morte: São Paulo, Brasil.
Outros clubes em que atuou: Rosário Central, da Argentina.

Corinthians e São Paulo duelam no Pacaembu. O goleiro Poy sobe para afastar o perigo observado por Vitor (à direita). De costas está Mauro Ramos (camisa 3), ao lado do Pequeno Polegar Luizinho. À esquerda, observando o lance, está o atacante Zague.
Em pé, da esquerda para a direita: Alfredo Ramos (o Polvo), De Sordi, Pé
de Valsa, Poy, Vitor, Mauro Ramos de Oliveira e o mordomo Serrone.
Agachados: Teixeirinha, Dino Sani, Zezinho, Remo e Canhoteiro

José Poy, no Morumbi, em 1960, ladeado por Henri Aidar (esquerda) e pelo mordomo Serrone.