Impossível falar do Pintado sem ligar sua imagem ao São Paulo. Foi um grande volante. O que faltava em técnica sobrava em raça, era brigador, do tipo que dá o sangue. Ganhou tudo que podia, foi campeão Paulista, Bi da Libertadores e Mundial.

A experiência como jogador, que impulsionou a carreira de técnico, pode da mesma forma impulsionar a carreira de diretor. Mas ele já atuou na função? Não. Mesmo assim pode dar certo. Teria minimamente experiência de jogador, além de um sentimento enorme de amor e gratidão ao clube, coisas que Adalberto não tinha.

O nome dele já foi levado ao Presidente por um grupo formado por membros do conselho. Também conta com a simpatia de gente como Daniel Perrone, da Globoesporte.com, que já o havia citado há uns dois meses atrás e voltou a fazê-lo ontem.

Pintado acalmaria a torcida, não resta dúvida. Seria uma opção mais “barata” (como foi Paulo Autuori). Por não ter experiência como diretor, talvez seja mais maleável e tenha mais flexibilidade para trabalhar apenas gerindo a crise neste restinho de mandato.

Já o Leonardo, apesar da carreira como jogador, hoje em dia é muito mais reconhecido e elogiado pelo atual trabalho de diretor esportivo, do que pela profissão que o projetou no mundo do futebol.

Tem vivência e trânsito internacional. Conhece jogadores do mundo todo. Responsável direto por reforçar o PSG com nomes como Lucas, Thiago Silva, Ibrahimovic e Ezequiel Lavezzi, campeões no último campeonato francês.

A princípio, repatria-lo seria a maior dificuldade, porém, seu pedido de demissão do PSG, após ter suas atividades oficiais suspensas, em decorrência do empurrão que deu no árbitro Alexandre Castro, que havia expulsado Thiago Silva, durante a partida contra o Valenciennes, pode ter facilitado e muito as coisas!

Ou poderia, afinal, Juvenal continua sendo presidente, continua tendo um ego maior do que todas as garrafas já esvaziadas por ele empilhadas, e talvez na atual diretoria, não tenha espaço para um nome com o peso e preço do Leonardo na função.

Venha quem vier será muito bem vindo! Mas saiba que é pra chegar chegando e com o objetivo precípuo de gerir a crise, porque gerindo bem, já dá pra começar a vislumbrar, no médio prazo, meu Tricolor de volta, refazendo sua história de honra e glória…Com Marco Aurélio Presidente, Rogério Diretor de Futebol, Leonardo Diretor Esportivo, Muricy Técnico, Juan, Maicon, Douglas e Ademilson eternamente no banco.

Sonhar não custa, né?

Saudações São Paulindas!

Por: Carol Nader – @NaderCarol