Por Kelly Elias – @KellyEllias

Saudações São Paulinas

Hoje estou aqui para contar uma curiosidade para todos são paulinos. A história é sobre o primeiro goleiro a marcar um gol com a camisa do nosso SPFC.
Não foi o mito Rogério Ceni o primeiro gol de goleiro do nosso glorioso SPFC. Mas sim, do José Augusto Moscatto, mais conhecido como Moscatto.
Moscatto foi o primeiro goleiro da história do SPFC a marcar um gol em uma partida oficial. Nascido no dia 11 de novembro de 1972 na cidade de Jaú, interior do Estado de São Paulo, Moscatto iniciou sua carreira nas categorias de base do XV de Jaú com apenas 12 anos, em 1985.
Permaneceu por 10 anos no XV de Jaú, quando se transferiu para o time do Grêmio Novorizontino/SP. Onde ficou por apenas 40 dias, quando o SPFC pagou o valor de sua rescisão, visando reforçar com a vinda do jogador o seu forte plantel de goleiros, que na época já contava com Zetti e Rogério Ceni.
Moscatto não teve muitas chances com a camisa do nosso Tricolor, porém em uma das poucas oportunidades que conseguiu Moscatto fez história. Em 15 de julho de 1995, partida valida pelo Torneio Rei Dadá, o SPFC empatava com o Uberlândia em 1a1, quando o árbitro marcou um pênalti para o nosso SPFC. Por conta do confuso regulamento da competição, os goleiros eram quem cobravam as penalidades.
“Eu não esqueço. Eu fui bater rindo, pensei: ´Os caras podiam ter lido o regulamento e me avisado, daí eu poderia treinar” comentou o ex-goleiro em entrevista para a Folha de São Paulo. Entretanto, mesmo sem praticar, Moscatto foi para a bola e não titubeou, convertendo a penalidade e marcando o primeiro gol de goleiro da história do nosso SPFC.
Era um jogo do Expressinho, mais mesmo assim era uma partida oficial do SPFC. Após a essa partida, Moscatto nunca mais viria a marcar nenhum gol com a camisa do SPFC. Moscatto jogou apenas duas partidas oficiais com a camisa do nosso SPFC.
Em 1996, Moscatto trocou o São Paulo pelo XV de Piracicaba, clube no qual disputou apenas o Paulistão daquela temporada. Após esse período, decidiu abandonar o futebol e retornando para a cidade de Jaú para administrar a loja de sua família.