Por Raiza Oliveira (ra_iza)

O Brasil sendo governado por Getúlio Vargas em um regime ditatorial, as Olimpíadas de Berlim assistidas pelo fürer Adolf Hitler, a Espanha vivendo a Guerra Civil e o voto feminino sendo regulamentado dois anos antes no País. Esses são alguns fatos que aconteceram em 1936, última vez que o São Paulo Futebol Clube perdeu 6 (SEIS) partidas seguidas em sua história. Esta foi a gota d’água para o torcedor, que sozinho, busca soluções para um momento tão sombrio de um clube que praticamente só conheceu vitórias desde então.
Não é de hoje que todos sabemos que a continuidade no poder do Juvenal só seria prejudicial ao clube. Ele é responsável por diversas melhorias no clube, mas como tudo acaba na vida, seu ciclo já acabou faz tempo. Agora estamos pagando por isso, o que já era esperado. Estamos (nosso momento) simplesmente repetindo os erros das fracas gestões de Corinthians e Palmeiras de alguns anos atrás, que fizeram tais times amargarem a segunda divisão e crises que aparentavam sem fim.
Erro após erro, incluindo contratações equivocadas, gastos inúteis, aposta em técnicos falidos e muita, mas muita soberba, nosso hoje estava sendo escrito. Tudo isso foi indignando o torcedor, que como seu papel, ainda acreditava na força da camisa e esperava por dias melhores. Mas a paciência acabou com a sorte e o torcedor vai, a partir de agora, cobrar mudanças até de fato, vê-las.
Já foi feito no facebook um evento que chama a torcida para uma manifestação pacífica em frente ao Morumbi. Outras já foram realizadas, mas sem muita aderência da torcida em geral pela pouca esperança que lhes restavam. Mas a situação atual deve motivar grande parte dos corações que amam este clube, e a diretoria pode, no mínimo, esperar por mais e mais pedidos de “FORA”.
Foto: Leandro Moraes – UOL
Sabemos, historicamente, que quem tira ou põe pessoas no clube são os conselheiros, as pessoas lá de dentro. Tecnicamente movimentos e abaixo-assinados vindos da torcida não surtirão o efeito desejado. Não existe impeachment. Mas marca na nossa história que existe uma preocupação com o que o torcedor mais ama, o que deve pressionar e perturbar quem escolhe os mandatários.
Esperamos por dias melhores. Dias que quem cai não é mais a gota, mas a moeda em pé. Dias de mudança.
#VAILÁDECORAÇÃO