Por: Carol Nader (@NaderCarol)

Imagino que a essa altura muita gente não aguenta mais ouvir falar em protestos.

Mas outras, permanecem a postos, com punhos cerrados e pulmões inflados, dando voz a todos os seus anseios e de grande parte da população também (inclusive daqueles que assistem a tudo do sofá de casa, tipo eu, não por comodismo, mas sim por motivos circunstanciais.

E resolvi falar sobre esse assunto porque acredito que depois dessa mobilização em massa, mesmo aqueles que não foram alvo de protestos dessa vez por razões óbvias, estejam de olhos e ouvidos bem abertos. E é bom que seja assim.

Lá de cima, eles precisam enxergar que aqui embaixo tem gente de personalidade, de atitude, de fibra, de garra, de luta, de coragem, que aqui tem gente de verdade. Que sonha sim, mas que pensa também.
Gente que não aguenta mais trabalhar o dia inteiro, pegar aquela condução lotada e dormir apenas 4 horas por noite, pra ver o time apanhar!

Gente que escuta um ano inteiro que está chegando a cereja do bolo e dá de cara com um pereba que nunca viu na vida na coletiva…Tá bom que eles podem ser uma boa opção pra compor o elenco e especialmente o banco, mas aposta por aposta e promessa por promessa, pega uma de Cotia e para de iludir o torcedor com esse papo de cereja do bolo.

Por respeito ao tricolor e mais alegrias ao torcedor, façam melhores propostas, revejam as políticas internas do clube, inclusive salariais, porque a cereja mesmo só virá se assim for.

Por respeito ao torcedor e ao jogador, parem de dar declarações descabidas, como aquela que colocou Fabuloso de volta ao mercado. Com qual objetivo? Vender? Não, se fosse não teriam feito tanto esforço para mantê-lo, né? Então pra que todo aquele sururu na casa de Noca (como diria o Datena)? Pra trazer a mesma cereja duas vezes? Francamente.

Por mais conquistas em campo do que no Refis!

Por mais craques de expressão e menos apostas. E volto a esse ponto simplesmente porque não aguento mais reforços vindo do interior de num sei onde pra jogar no Tricolor e reforçar o adversário.

Por um Presidente que seja reconhecido principalmente pela sua gestão e não pelos hábitos etílicos.

Por um técnico menos teimoso (continuar escalando Douglas é o auge) e apático (queremos te ouvir gritando a beira do campo, gritandoooo, tá me ouvindo?) Porque pra ficar daquele jeito pode acompanhar do sofá da sua casa…

Por tudo que esse clube representa.
Por ser o mais amado.
Por ser o mais querido.
Alô, Juvenal, o gigante continua acordado.
Vamos pro estádio.
Avante, São Paulindos!