Por: Fernanda Moreira (@NandaVondy)

De fato, o volante e tricolor Denilson, não está em sua melhor fase na equipe. A questão, é a incógnita da permanência do camisa 15 para atuar no segundo semestre. O técnico Ney Franco faz questão de ressaltar a importância do atleta atuando no elenco, e defende sua permanência diante a diretoria do clube, considerando-o como o melhor volante em atuação do Brasil. O jogador está emprestado pelo Arsenal da Inglaterra, até o dia 30 de junho.

Foto: Lance! 

Após a partida contra o Vasco (SPFC 5 X VASCO 1) pela segunda rodada do Brasileiro, o atleta fez a seguinte declaração:
-“É difícil até dizer algo, nem sei o que vai acontecer. Acredito que não fico. Se não falaram nada, é porque eu não fico”. – Denílson.
Diante do tom das declarações, é notória a insatisfação do volante, quanto à falta da resolução ao seu caso. Revelado no São Paulo, o atleta conseguiu nome atuando fora, foi vendido para o Arsenal e hoje está apenas por empréstimo no clube. Contrato esse que encerra em menos de um mês.

Basta agora, definir qual será o futuro de Denílson. E se o atleta não ficar, qual será o esquema utilizado pelo técnico Ney Franco para preencher a vaga do volante, que atualmente faz dupla com Rodrigo Caio, já que o Wellington, seu antigo parceiro, voltou ao banco de reservas.

Diante da situação incerta de Denílson no clube, estão gerando algumas especulações para possíveis nomes contratados, entre eles: Maxi Rodriguez (Meia) e o jogador Scocco (Atacante), ambos da equipe argentina, News Old Boys. Sendo nesse caso contratações de “oportunidade” nada ligadas ao volante. Para ocupar o lugar de Denílson na equipe, o nome mais cotado é o do argentino Fernando Gago, atualmente no Vélez Sarsfield, da Argentina.

Saudações Tricolores!

————

Conheça a nova São Paulinda:
Meu nome é Fernanda, tenho 20 anos, curso Turismo no Instituto Federal de São Paulo e trabalho como Guia de Turismo no Estádio do Morumbi. Fui escolhida para ser a nova colunista do SITE SPFC1935, escrevendo para a coluna das São Paulindas. É um imenso prazer e reconhecimento fazer parte dessa equipe, como é um imenso prazer falar do São Paulo Futebol Clube onde trabalho há quase dois anos.
Sendo torcedora e São Paulina fanática é uma realização pessoal e profissional, que não pode ser encarado como um ‘trabalho’. Poder andar todos os dias por lugares onde já passaram tantos ídolos e tivemos tantas conquistas é algo gratificante.
Espero com meu novo trabalho poder compartilhar um pouco do meu conhecimento e imensa paixão pelo nosso tricolor paulista.