Só ao final do ano saberemos quem será o campeão. Lá pelo mês de Novembro já teremos uma idéia de quem provavelmente irá pra Libertadores, podendo até isso durar até Dezembro… Teremos os prêmios de consolação: ida à Sulamericana. E o pior de tudo: os quatro que caem para a série B. Este é o panorama do Brasileirão. 20 times. Parada após a 5a. rodada para a Copa das Confederações. Campeonato longo e que muitos cenários podem se apresentar. Vejamos alguns. 
1) O time engrena, faz um primeiro turno interessante, recebe esforços e dá uma arrancada sensasional no segundo turno. Foi assim em 2008. O time se fechou e focou no segundo turno e conseguiu tirar uma diferença de pontos abismal, sagrando-se campeão. Em 2007 foi mais fácil, mas o time que como neste ano foi eliminado nas oitavas da Libertadores, era melhor que deste ano, sobretudo por um detalhe: tínhamos uma defesa sólida. Em 2008, a defesa fez toda a diferença também. Em 2013, precisamos urgente de reforços no setor defensivo. Pra brigar pela Libertadores, não dá pra tomar gols de cabeça de escanteio;
2) O time continua como está, faz algumas boas partidas, mas perde em clássicos. Terminará na zona da SulAmericana
3) O time tenta brigar pela Sulamericana, mas com lesões e desfalques, não há elenco a disposição. Faz falta um banco bom. O SPFC pode terminar na zona morta, ou seja, naquela zona que nem briga pela Libertadores, nem pela SulAmericana, mas também não cai. 
Fazendo uma análise fria dos clubes que disputam o Campeonato Brasileiro, temos Atlético-MG, Fluminense, Cruzeiro, Corinthians, Internacional e Grêmio como times que podem dar trabalho. Atlético e Fluminense ainda estão na Libertadores e dependendo de até onde forem, isto irá se refletir no Brasileirão. Não acho que Botafogo, Flamengo e Vasco tenham time ou elenco bons o suficiente pra brigar lá em cima, diferentemente do Cruzeiro, que embora tenha perdido para o Atlético, acho que está com um grupo mais inteiro que os cariocas. Corinthians embora tenha saído da Libertadores apresenta um bom time, com banco e um bom técnico. Não creio que nossos rivais passarão vergonha no Brasileirão como foi em 2007. Internacional ontem conseguiu empatar com o Vitória fora de casa, (2×2), quando estava perdendo de 2×0. Mostrou poder de reação. E pra quem entende de pontos corridos sabe que o segredo é: ganhar em casa, não perder clássicos e tentar perder o menos possível fora. Inter já arrancou um empate fora de casa. Grêmio tem um bom time, marcado por lesões e um por técnico bem caro (Wanderley Luxemburgo), que não apresentou bons resultados no primeiro semestre. Santos perdeu sua grande estrela (Neymar) que está assinando com o Barcelona. Não tem time sem Neymar pra brigar no topo. Acho que os demais times serão coadjuvantes, daqueles que não irão brigar por título ou classificação, mas chatos o suficiente pra tomar pontos de times que não estiverem preparados (como o SPFC, que perdeu o título em 2009 porque teve derrotas não esperadas em casa e até fora delas). 
Quanto ao SPFC especificamente acho que o tricolor precisa urgente de reforços. Não há como negar isso. O sistema defensivo tem sido um problema. São raros os jogos que o SPFC não toma gol. Não dá pra continuar assim. Precisamos também de um lateral. Continuar com Douglas não é uma opção. E precisamos também de um centro-avante. Sei que muitos veneram o Luís Fabiano (desculpe os que pensam o contrário, mas nenhum jogador é maior que o próprio clube, então campanhas como ‘Sem Luís Fabiano, sem sócio-torcedor’, vinculada nesta semana no Twitter, me parecem absurdas! Você é sócio-torcedor do clube pelo o que o clube representa a você, não por um jogador específico! E já disse isso aqui antes, a punição ao Luís Fabiano, embora absurda, não teria acontecido se ele tivesse ficado quieto no canto dele sem falar nada ao juiz ao término da partida. Ele já fez a fama e está caindo na cama….Inocência? Eu diria burrice mesmo! E atrapalha o time), precisamos de um centro-avante reserva, pois quantos jogos o Luís Fabiano ficará de fora? E como fica o SPFC nestes jogos? 
Quanto ao nosso técnico, já fui muito defensora do Ney Franco. Hoje analiso que técnico tem que ao menos se comunicar durante o jogo. Ficar à beira do gramado, quieto, não é uma opção. Ney Franco fica parado e quieto o jogo todo. Quem se lembra de Telê, do próprio Muricy à beira do gramado, gritando, passando instruções? Isso faz toda a diferença! Nos jogos do SPFC contra Atlético-MG e Corinthians, tanto Cuca quanto Tite gritavam à beira do campo o tempo todo, enquanto que Ney Franco só observava. Querendo ou não, o SPFC saiu. Só por isso Ney Franco já não tem meu apoio. Não vou nem comentar as escalações com Douglas no ataque, no meio-campo, na lateral…Sem comentários! 
Quanto à diretoria, Juvenal Juvêncio sabe que está com a corda no pescoço. Os resultados ruins por enquanto acenderam a luz amarela: contratações caras ainda não resultaram em títulos. Lucas foi vendido e não foi substituído à altura. Muita gente boa saiu. Não creio que ele sairá do comando do SPFC. O título da Sulamericana ano passado escondeu muita coisa. Este ano ainda temos a Recopa. Se o SPFC vencer, Juvenal ganha força. Se perder para o rival Corinthians, o clube se enfraquece. Pode sobrar para o técnico? Sem dúvida. Mas trocar só o técnico talvez não dê tanto resultado assim. Ontem escutei um são-paulino dizer algo que concordo: diretoria fraca + elenco mediano + técnico fraco = resultados medíocres. É bem por aí que penso também. Vamos ver o que o SPFC nos reserva em 2013. 

Thaís Cachuté Paradella.