Por Camis Carvalho – @camisspfc
A sensação é de que o coração sangra. Confesso que já tinha em minha mente toda a coluna que eu faria vibrando pela classificação. Não que eu desmereça o Atlético, longe disso, mas coração de torcedor não quer saber de números, nem de estatísticas, nem de lógica. Coração de torcedor sempre acredita. E eu acreditava. Apesar de, racionalmente, saber que era muito difícil, meu coração só dizia que passaríamos. Apesar de tudo estar contra, eu acreditava. Eu acreditava.
Acredito que existam torcedores mais racionais do que eu, mas tenho certeza quase absoluta de que nem o mais frio dos são paulinos pensou que seria da forma como foi, especialmente no que se refere ao placar. Quem imaginou que seríamos goleados? Acredito (e espero estar certa) que ninguém.
Não só a derrota em si machuca. Mas o fato de provavelmente ser a última partida do nosso deus Rogério Ceni em uma Libertadores também traz um amargo mais forte. Que sãopaulino não sonhou com uma despedida em grande estilo de um dos maiores ídolos da nossa história? Uma despedida como ele merece, como o São Paulo merece: com um grande título, com levantamento de taça, com festa, com glória. Infelizmente, se o Rogério realmente se aposentar no final do ano, não será assim sua despedida da Libertadores. 
Hoje, peço licença a vocês, fiéis leitores, que sempre nos prestigiam e acompanham, para não escrever uma coluna. Hoje escreverei apenas um desabafo. Um desabafo de uma torcedora que falará em nome de outros 18 milhões de torcedores que, acredito eu, estão sentindo exatamente a mesma coisa que eu.
Não quero esbravejar, nem xingar, nem culpar ninguém. Achar um culpado (ou mil culpados) não alivia absolutamente nada. Hoje quero apenas tentar deixar de lado essa tristeza inevitável, e trazer à tona a tal racionalidade a que me referi no começo deste texto. 
Tragam a razão para se lembrar do tamanho do São Paulo. Nós somos gigantes, nós somos infinitos! Não vamos permitir que uma eliminação – ainda que tão dolorosa – nos faça esquecer o tamanho da nossa força. Nós não podemos desanimar! Assim como nós precisamos do nosso Tricolor Mais Querido pra nutrir esse amor avassalador, o São Paulo também precisa de nós. É nesse momento tão difícil que se faz mais necessário ainda o apoio da torcida. Não vamos deixar essa mágoa nos cegar.
Podem vir mil eliminações, infinitos gols, qualquer coisa… NADA nesse mundo seria capaz de diminuir o São Paulo. NADA é maior do que esse clube! Essa camisa, esse escudo, essa torcida, essa história… tudo isso tem uma força que é impossível de ser calculada. Não há número que meça a grandeza do São Paulo Futebol Clube. Aquele time de três cores, caçula entre os paulistas, que cresceu de forma estrondosa nesses 77 anos, conquistou uma torcida que se multiplica de forma significativa a cada dia, e hoje faz o coração de tantos torcedores bater forte e apaixonado.
Pode parecer postura de “mulher de bandido”, o que não é a minha intenção, que fique claro; mas é diante de uma derrota como essa que meu amor fala mais alto, e eu vejo porque o São Paulo é tão apaixonante. Porque é fácil amar nas horas boas, é fácil amar nas vitórias, nas goleadas, nas conquistas de títulos. É fácil amar nas alegrias. Mas é na hora da tristeza que a gente entende o que motiva tanto amor. Porque é na hora da tristeza que a gente percebe que ela se torna minúscula diante de tantas alegrias que esse time já nos proporcionou. É na hora da tristeza que a gente vê que esse amor é inabalável.
Me desculpem se pareço muito romântica ou “iludida” demais. Não me incomodo. Hoje só quero me permitir não me abalar. Engulo o choro e ergo a cabeça, e gostaria que todos os sãopaulinos fizessem o mesmo. Porque não há motivo para que abaixemos, não há motivo para nos curvarmos. Nós somos maiores do que tudo isso. O São Paulo é maior do que tudo isso. Infinitamente.
E você, Tricolor, saiba que continuaremos ao seu lado, apesar de você abusar de vez em quando da nossa fidelidade. Mas tudo bem. Coração de torcedor aguenta. Coração de torcedor sempre perdoa. Porque VOCÊ nos fez fortes. E juntos enfrentaremos os próximos desafios que estão por vir; juntos choraremos pelas adversidades que são inevitáveis; juntos vibraremos e comemoraremos todas as conquistas que nos esperam. Porque a vida continua, seu passado é glorioso, e seu futuro é VENCEDOR!
Avante, Tricolor!