Por Raiza Oliveira – @ra_iza

O momento não é dos melhores, tricolores. Garantimos o primeiro lugar no campeonato Paulista mas na Libertadores, que era nosso maior objetivo, estamos a agonizar. Ainda há esperanças de classificação e torcerei como nunca pra que isso aconteça. Mas lembrando do histórico recente do time, paro pra pensar que em boa parte dos momentos de dificuldades tivemos no mínimo uma polêmica interna pra destoar o clima e a confiança ir embora. Coisas banais que contribuíram pro São Paulo perder pra si mesmo.
Será? Foto: Luiz Moura/Gazeta Press
Em 2010, o Morumbi fica fora da Copa e parece que o mundo acabou. Tudo desandou depois daí.
Me recordo da segunda “era Leão” em  2011. O tal técnico por si só já era uma polêmica. Não se dava bem com o Rogério, tinha convicções inexplicáveis de escalar determinados jogadores em campo e implicava visivelmente com outros. O “ex-técnico em atividade” já chegou com prazo de validade e nada deu certo.  Aí o então causador de problemas vai embora meses depois e recomeçamos do zero mais uma vez, depois de Carpegiani, também polêmico, e Adilson Batista. 
Em 2012, mais uma eliminação no Paulista no início do ano com direito a afastamento do Paulo Miranda na concentração pra um jogo. No segundo semestre nos acertamos, o time se encontrou e as polêmicas eram aquelas que a imprensa nos tentava impor, e nos momentos de baixa, mais do mesmo com Luís. No fim, campeões e confiantes (ou vice e versa).
Esse ano dá pra listar várias “polemiquinhas”, só internas. Jogadores  reclamando por serem substituídos, mulher de jogador  reserva falando mais do que deve em rede social e dirigente participando de eventos seculares enquanto o time perdia no jogo da vida, se é que sua presença faria diferença – mas o pano pra manga foi dado.
Não sei se entenderão meu ponto de vista, mas não quero creditar essas derrotas citadas totalmente à essas polêmicas. Mas quero dizer que muito da confiança necessária para se criar um time competitivo e vencedor parte da união do grupo, de forma intransponível. É até covardia comparar, mas o time de 2005 não permitiu que o boato do bicho que receberiam interferisse no momento do time. Focaram no objetivo e ignoraram qualquer pormenor. E é aí onde quero chegar.
Foto: Rubens Chiri/ São Paulo FC
O São Paulo tem perdido nos últimos tempos pra ele mesmo. Tem bola pra levar essa na quarta-feira que vem, mas precisa abandonar seus próprios fantasmas pra acreditar nisso. Hora de esquecer quem já foi suspenso, “diretoria omissa” ou qualquer outra nova picuinha que será criada por eles lá dentro e até pela própria torcida. Se eles acreditarem e nós não, se existir uma carta fora do baralho que destoe o grupo, o time fica incompleto e mais uma vez nosso maior adversário seremos nós mesmos.
#VAILÁDECORAÇÃO