Saudações tricolores!

Ontem o SPFC venceu o Bragantino no Morumbi (2×0), com um gol contra e outro de Luís Fabiano. O jogo não foi horrível, mas também não foi um jogaço. Mas o time adotou uma formação que agrada ao torcedor, com Jadson e Ganso em campo. Luís Fabiano marcou um gol e não comemorou. Na saída de campo, o jogador deu a seguinte declaração: 
– “Deixei muita coisa para trás para vir para o São Paulo. Deixei de ir para um rival, que foi campeão da Libertadores e Mundial. Tenho de estar feliz no ambiente do São Paulo”!
Bem, Luís Fabiano parece ser uma incógnita para o são-paulino por alguns motivos: 1) faz gols; 2) é o atacante referência no ataque do SPFC, sem reserva que chegue perto do que ele faz em campo, quando inspirado; 3) é expulso e muitas vezes perde a cabeça em campo; 4) não tem o hábito de fazer muitos gols contra times grandes e em decisões; 5) dá declarações bombásticas para a mídia 
Luís Fabiano é um jogador diferenciado. Sem dúvida disso. O SPFC tem que saber como tratar o jogador quando seu talento é especial (o que é, no caso), mas também há o outro lado: o jogador tem que entender que é funcionário e representa o clube em campo. Ou seja, sua punição dada pela Conmebol (4 jogos) foi absurda. Mas ele já tem experiência suficiente pra não ir tirar satisfação com o juiz após o fim da partida. Do mesmo jeito quando perde a cabeça em campo e desfalca o time. Ele não é mais um garotinho. Já tem experiência suficiente pra não agir assim. O SPFC nunca deu punições ao atleta por ficar fora por expulsões questionáveis, prática esta relativamente comum em alguns clubes. 
Dar declarações como esta dada pelo atleta ao fim da partida de ontem em nada contribuem. É uma festa para a mídia esportiva brasileira, que já tem uma tendência há crescer e botar fogo quando o assunto é tumultuar o ambiente do SPFC. 
O fato é: Luís Fabiano é um artilheiro, tem feito gols, mas tem que entender que há partidas que o time precisa demais dele. E ficar fora delas porque foi expulso por reclamação ou briga, não dá. Dar declarações de como poderia ter ido pra outros times ao fim de uma partida também não dá. Faça seu trabalho em campo, marcando gols. Se o time do SPFC irá longe ou não nos campeonatos deste ano não será só responsabilidade dele (afinal, há outros 10 jogadores em campo…). 
O SPFC tem que saber lidar com Luís Fabiano, do mesmo jeito que ele tem que entender que joga em um dos maiores clubes que já jogou. 
E você? Como lidaria com Luís Fabiano hoje, se fosse o presidente do SPFC? 
Eu sentaria, conversaria com o atleta (se há algum problema no clima interno, está na hora de resolver), faria um acolhimento com responsabilidade. Ou seja, estenderia ajuda ao atleta, mas deixaria claro que declarações bombásticas ou expulsões idiotas teriam seu grau de punição. Quando você oferece ajuda, dá tudo ao atleta, pode cobrar depois. Luís Fabiano tem um salário substancial no SPFC, um dos maiores da equipe. Se ele escolheu vir jogar aqui ao invés de outras propostas, foi uma escolha dele. Externar isso à mídia não contribui para melhora do ambiente interno, pelo contrário. 
Infelizmente, hoje parece que os clubes estão nas mãos de jogadores e empresários. O SPFC não pode se deixar levar por esta tendência. Já tivemos em anos recentes jogadores dando declarações à mídia, exigindo a, b e c via microfones ao final de jogos. E isto nunca é bom. Está na hora de retomar um bom rumo das coisas. 
E você? Faria o que? 
Thaís Cachuté Paradella.